RONDONOTICIAS domingo, 25 de agosto de 2019 - Criado em 11/10/2001

RESENHA POLÍTICA - Com direitos políticos suspensos, Ivo Cassol comanda Parque Agropecuário de Rolim de Moura


Por Robson Oliveira

17/07/2019 08:38:54 - Atualizado

RECOMEÇO – Com os direitos políticos suspensos e proibido de disputar por longos anos um cargo eletivo, o ex-governador Ivo Ksol voltou a comandar o parque agropecuário de Rolim de Moura, cargo que ocupou antes de ingressar na vida política partidária com vários mandatos seguidos até ser defenestrado pela lei da ficha limpa. Polêmico e implacável com os desafetos, condutas que têm redundado em inimigos igualmente duros, não há como deixar de reconhecer que pela astúcia e a destreza em organizar eventos, quem ganha é o entretenimento de Rolim de Moura e o agronegócio. Mas vai ser um recomeço penoso para quem é acostumado a dar ordem sem ser questionado. Os tempos são outros, e a forma de tratar hoje as pessoas não é a mesma da época em que Ksol assumiu pela primeira vez o parque de exposição.

HABILITAÇÃO – Ao aprovar na Câmara dos Vereadores, com uma larga vantagem de votos, a autorização para contrair um empréstimo junto à Caixa Federal, vinculado à aquisição de emulsão asfáltica para recapear e asfaltar ruas e avenidas da capital, o prefeito Hildon Chaves dá um passo firme visando às eleições de 2020. Embora as críticas à administração ainda sejam contundentes, na hipótese de conseguir licitar em tempo rápido e iniciar a pavimentação, passa a ser um nome duro a ser batido. Não é à toa que os principais oponentes ao alcaide não tenham ainda saído da toca com posições mais acerbas e anunciado as próprias pré-candidaturas. Há prognóstico para todo gosto sobre a sucessão na capital. O problema é que política muda conforme a nuvem.

LOROTA – Para os servidores públicos a Reforma Previdenciária é uma lástima ao criar travas que impedirão o barnabé calejado de buscar sua aposentadoria mesmo com as forças físicas exauridas. A maioria aplaudiu o projeto sem mesmo avaliar quais direitos foram subtraídos, nem como o novo texto legal recairá sobre suas vidas laborais. O problema para quem avaliou o projeto sem ser ligado às posições antagônicas do “bolsonarismo” ou “petismo”, é que sempre era impingido a balda de ser ligado a um dos grupos. Uma lorota construída pelos detentores do poder para engalobar os incautos.

VAZAÇAO – Uma mensagem de áudio postada domingo (14), num grupo de Espigão do Oeste que consta na lista madeireiros, chama a atenção pela forma incomum de uma autoridade antecipar uma operação contra suposta atividade ilegal de madeireiros na região. Segundo o áudio, de autoria do senhor Governador Marcos Rocha, está tudo preparado para uma grande operação dos fiscais do Ibama na região e que, ao saber da operação, fez contato com o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, para informar que o Ibama age de forma agressiva contra o setor madeireiro. Mas, pelo áudio, o ministro disse que não tinha como impedir as ações do órgão quando se tem algo que é errado. Rocha retrucou que não quer nada errado, mas também não quer que se fechem todas as empresas.

PROMESSA - Apesar da interferência do governador na questão, o ministro do Meio Ambiente confirmou que haverá uma grande operação esta semana em Espigão, Pimenta e Cacoal. Razão pela qual o governador alertou ao grupo da operação através do WhatsApp e prometeu aos madeireiros que não vai autorizar a Polícia Militar no apoio da operação. Aliás, já havia dado a determinação.

MINISTRO – A coluna apurou também que está vindo reforço de fiscais da Superintendência do Ibama paraense e, a princípio, o ministro Ricardo Sales está pretendendo desembarcar amanhã em Rondônia para acompanhar de perto toda a ação.  

PAPO – No final do áudio Marcos Rocha pede que os empresários mantenham a calma, ajam com sabedoria para não perderem a razão e garantiu que vai se deslocar ao município de Espigão do Oeste para conversar com os empresários. Concluiu a fala dizendo que está junto na causa dos madeireiros e que seu assessor Cridão está repassando todas as informações do local.

ESTRANHO – É absolutamente compreensível o governador sair em defesa do setor vegetal que mantém vários postos de trabalho. O que não é correto (muito estranho) é antecipar uma operação montada pelo estado brasileiro destinada a coibir exatamente aqueles empresários que trabalham à margem da lei. Quem trabalha com os planos de manejos e explora madeira fora das reservas não tem o que temer quando o Ibama exerce suas funções fiscalizatórias. Ao usar uma rede social para vazar a operação, o governador abre espaço para também ser questionado ao supostamente privilegiar com a informação quem não explora o setor de forma legal.

RICHELIEU -  Para alguém da política ter acesso ao Secretário Chefe da Casa Civil, Junior Gonçalves, reza a lenda nas coxias governamentais que é preciso passar pelo crivo do deputado estadual Jair Montes. Deputados ouvidos pela coluna demonstraram  inquietação com a ascensão do parlamentar sobre o auxiliar da ante-sala do chefe do Executivo Estadual. Jair virou um espécie de "Richelieu - ex-primeiro ministro do reinado de Luis XIII -  e manda na pasta mais que o titular do cargo. 

TELEMARKETING – Anúncio feito hoje pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) tranquiliza usuários de telefonia de que não vão mais ser perturbados pelos call centers que fazem chamadas oferecendo serviços digitais, especialmente em horários indesejados. A partir de hoje, qualquer consumidor poderá incluir seus números de telefones no cadastro do site "Não Perturbe”. As operadoras têm até trinta (30) dias para atender às solicitações. Embora seja uma notícia boa, nem todas as ligações indesejadas serão barradas pelo cadastro, mas é um começo do fim da importunação dos vendedores eletrônicos. Conseguem, aliás, ser mais chatos do que vendedor de rede.




*O Rondonoticias informa que as colunas são de inteira responsabilidade de seus autores



Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.