RONDONOTICIAS sexta-feira, 16 de novembro de 2018 - Criado em 11/10/2001

​RESENHA POLÍTICA ROBSON OLIVEIRA


Por Robson Oliveira

10/07/2018 17:54:29 - Atualizado

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA

PODEMOS – O deputado Léo Moraes, atualmente uma das maiores lideranças da capital, reuniu no sábado passado os filiados e demonstrou o poderio da nominata que a legenda reuniu para enfrentar as eleições de outubro. O auditório do Colégio Objetivo ficou pequeno para acomodar o número enorme de militantes e apoiadores de Léo Moraes que é pré-candidato a deputado federal.

PRESTÍGIO – Os principais dirigentes políticos do estado compareceram a encontro do PODEMOS para prestigiar sua principal liderança. Quem participou do evento verificou as mais diferentes correntes políticas representadas pelos seus respectivos dirigentes.

PRESTÍGIO II - A presença dessas lideranças, inclusive aquelas que deverão estar em palanques diferentes do Leo, revela um prestígio pessoal do deputado e dá um exemplo de civilidade numa época permeada com tanta incompreensão e intolerância. Não houve nenhum compromisso em relação a candidaturas majoritárias nem alianças, sequer o tema foi mencionado. Foi uma festa para exaltar a militância partidária e reforçar a força política que o partido conquistou. O deputado estadual é hoje o sonho de apoio de qualquer partido e é natural que seja tão festejado pelas mais variadas correntes ideológicas, o que não significa alinhamento automático aos visitantes. Pelo evento passaram dirigentes da Rede, PSDB, MDB, PDT, PT, PCdoB, PSB, entre outros.

REVELAÇÃO – No evento do PODEMOS o tucano Expedito Junior não confirmou que é pré-candidato a governador – nem desmentiu as especulações – mas revelou na presença de todos os dirigentes dos partidos que vem mantendo conversações com o PDT de Acir Gurgacz, PSB de Daniel Pereira e com setores do MDB de Maurão, com o DEM de Marcos Rogério e com o PP de Cassol. Excluiu apenas o PT pelas razões óbvias, embora tenha elogiado a pessoa do jornalista Dom Paulo Benito, pré-candidato do partido lulista.

ANÚNCIO – Junior tem dito em reserva que somente anuncia o cargo que disputará no final do mês e não adiantará as pressões para que antecipe esse anúncio. Tem avisado também que sua decisão vai ser tomada em grupo, mas vai avaliar com calma todo cenário e os dados que está coletando antes de bater o martelo. Embora seus seguidores achem que esta é a vez dele.

BORDÃO – Alguns sindicalistas e colaboradores dos diversos escalões do governo organizaram uma reunião em um hotel da capital para pressionar que o governador Daniel Pereira (PSB) assumisse a candidatura a pré-governador, visto que tem reiterado publicamente que não é candidato e que apoia o senador Acir Gurgacz do PDT. Os esforços dos sindicalistas, a maioria do Sintero e ligados ao Partido dos Trabalhadores, foram inúteis e Daniel repetiu o mesmo bordão de que empenhou a palavra de apoio a pré-candidatura de Acir. Voltou também a sinalizar que está confortável com a posição de “plano B” das esquerdas na hipótese do pedetista não conseguir registrar a candidatura, embora o tempo conspire contra esta hipótese.

RECICLADO - Não é novidade para ninguém do mundo político que os sindicalistas torcem para que Acir Gurgacz desista em favor do socialista Daniel Pereira, haja vista ser ele (Pereira) um quadro oriundo do Sintero e ex-deputado do PT. O que foi novidade no encontro majoritariamente de expoentes da esquerda foi a presença bem festejada do deputado federal Nilton Capixaba (PTB), assumidamente de direita e com problemas judiciais mais devastadores dos que pesam sobre o pré-candidato do PDT. Reciclaram Capixaba em nome de um candidato a governador que os sindicalistas tentam impor.

POLVOROSA – Entraram em parafuso alguns pré-candidatos ao Senado Federal depois que surgiu o nome do deputado federal Marcos Rogério (DEM) como opção para Câmara Alta. As reações vieram de todos os lados e o parlamentar já previa cada uma delas. Não falta “amigo” para dizer que ele tem uma reeleição tranquila e que não deveria entrar numa candidatura incerta como se as demais candidaturas lançadas fossem certas. Como o discurso que tem, o mandato exercido e um perfil conservador do eleitor rondoniense são ingredientes que podem levar o parlamentar ao sucesso e provocar o pavor que provocou aos adversários. A tática em marcha para que desista é inútil, segundo apurou a coluna com o próprio, e não causará o efeito desejado já que todos monitoram os percentuais e sabem o tamanho de cada um.

MICO – Antes de renunciar o governo, Confúcio Moura prometeu aos prefeitos a liberação de 200 milhões para serem investidos em obras asfálticas. A promessa levou os prefeitos a fazer anúncios pomposos dessas obras sem que os órgãos do estado tivessem providenciado o convênio. Os prefeitos agora penam com o desgaste devido a malha viária dos municípios estragada e depois que perceberam que a promessa era um mico. Um mico que vai virar tema na campanha que se avizinha.

EM BAIXA – Quem monitora a popularidade dos prefeitos sabe que os nobres alcaides estão em baixa com os munícipes. Dos 51 municípios, 32 estão em situação de penúria. Outros 10 a caminho do mesmo buraco.

DESGASTE – É difícil intuir sem uma pesquisa séria se o mais desgastante para o Poder Judiciário foram as decisões antagônicas dos juízes do TRF-4, a intromissão de Moro, a arbitragem do presidente do TRF – 4 ou as notas das associações de magistrados contra adjudicara de um dos seus membros. Nunca antes na história do país um poder ficou tanto as escancaras por ato típico próprio. Por estas e outras razões que as mídias sociais ficaram tão repugnantes.

RESENHA POLÍTICA

ROBSON OLIVEIRA

PODEMOS – O deputado Léo Moraes, atualmente uma das maiores lideranças da capital, reuniu no sábado passado os filiados e demonstrou o poderio da nominata que a legenda reuniu para enfrentar as eleições de outubro. O auditório do Colégio Objetivo ficou pequeno para acomodar o número enorme de militantes e apoiadores de Léo Moraes que é pré-candidato a deputado federal.

PRESTÍGIO – Os principais dirigentes políticos do estado compareceram a encontro do PODEMOS para prestigiar sua principal liderança. Quem participou do evento verificou as mais diferentes correntes políticas representados pelos seus respectivos dirigentes.

PRESTÍGIO II - A presença dessas lideranças, inclusive aqueles que deverão estar em palanques diferentes do Leo, revela um prestígio pessoal do deputado e dá um exemplo de civilidade numa época permeada com tanta incompreensão e intolerância. Não houve nenhum compromisso em relação a candidaturas majoritárias nem alianças, sequer o tema foi mencionado, foi uma festa para exaltar a militância partidária e reforçar a força política que o partido conquistou. O deputado estadual é hoje o sonho de apoio de qualquer partido e é natural que seja tão festejado pelas mais variadas corrente ideológicas o que não significa alinhamento automático aos visitantes. Pelo evento passaram dirigentes da Rede, PSDB, MDB, PDT, PT, PCdoB, PSB, entre outros.

REVELAÇÃO – No evento do PODEMOS o tucano expedito Junior não confirmou que é pré-candidato a governador – nem desmentiu as especulações – mas revelou na presença de todos os dirigentes dos partidos que vem mantendo conversações com o PDT de Acir Gurgacaz, PSB de Daniel Pereira e com setores do MDB de Maurão, Com do DEM de Marcos Rogério, com o PP de Cassol. Excluiu apenas o PT pelas razões óbvias. Embora tenha elogiado a pessoa do jornalista Dom Paulo Benito, pré-candidato do partido lulista.

ANÚNCIO – Junior tem dito em reserva que somente anuncia o cargo que disputará no final do mês e não adiantará as pressões para que antecipe esse anúncio. Tem avisado também que sua decisão vai ser tomada em grupo, mas vai avaliar com calma todo cenário e os dados que está coletando antes de bater o martelo. Embora seus seguidores achem que esta é a vez dele.

BORDÃO – Alguns sindicalistas e colaboradores dos diversos escalões do governo organizaram uma reunião em um hotel da capital para pressionar que o governador Daniel Pereira (PSB) assumisse a candidatura a pré-governador, visto que tem reiterado publicamente que não é candidato e que apoia o senador Acir Gurgacz do PDT. Os esforços dos sindicalistas, a maioria do Sintero e ligados ao Partido dos Trabalhadores, foram inúteis e Daniel repetiu o mesmo bordão de que empenhou a palavra de apoio a pré-candidatura de Acir. Voltou também a sinalizar que está confortável com a posição de “plano B” das esquerdas na hipótese do pedetista não conseguir registrar a candidatura. Embora o tempo conspire contra esta hipótese.

RECICLADO - Não é novidade para ninguém do mundo político que os sindicalistas torcem para que Acir Gurgacz desista em favor do socialista Daniel Pereira, haja vista ser ele (Pereira) um quadro oriundo do Sintero e ex-deputado do PT. O que foi novidade no encontro majoritariamente de expoentes da esquerda foi a presença bem festejada do deputado federal Nilton Capixaba (PTB), assumidamente de direita e com problemas judiciais mais devastadores dos que pesam sobre o pré-candidato do PDT. Reciclaram Capixaba em nome de um candidato a governador que os sindicalistas tentam impor.

POLVOROSA – Entrou em parafuso alguns pré-candidatos ao Senado Federal depois que surgiu o nome do deputado federal Marcos Rogério (DEM) como opção para Câmara Alta. As reações vieram de todos os lados e o parlamentar já previa cada uma delas. Não falta “amigo” para dizer que ele tem uma reeleição tranquila e que não deveria entrar numa candidatura incerta como se as demais candidaturas lançadas fossem certas. Com o discurso que tem, o mandato exercido e um perfil conservador do eleitor rondoniense são ingredientes que podem levar o parlamentar ao sucesso e provocar o pavor que provocou aos adversários. A tática em marcha para que desista é inútil, segundo apurou a coluna com o próprio, e não causará o efeito desejado já que todos monitoram os percentuais e sabem o tamanho de cada um.

MICO – Antes de renunciar o governo Confúcio Moura prometeu aos prefeitos a liberação de 200 milhões para serem investidos em obras asfálticas. A promessa levou os prefeitos a fazer anúncios pomposos dessas obras sem que os órgãos do estado tivessem providenciado o convênio. Os prefeitos agora penam com o desgaste devido a malha viária dos municípios estragada e depois que perceberam que a promessa era um mico. Um mico que vai virar tema na campanha que se avizinha.

EM BAIXA – Quem monitora a popularidade dos prefeitos sabe que os nobres alcaides estão em baixa com os munícipes. Dos 51 municípios, 32 estão em situação de penúria. Outros 10 a caminho do mesmo buraco.

DESGASTE – É difícil intuir sem uma pesquisa séria se o mais desgastante para o Poder Judiciário foram as decisões antagônicas dos juízes do TRF-4, a intervenção de Moro, a arbitragem do presidente do TRF – 4 ou as notas das associações de magistrados contra adjudicara de um dos seus membros. Nunca antes na história do país um poder ficou tanto as escancaras por ato típico próprio. Por estas e outras razões que as mídias sociais ficaram tão alucinadas sobre o episódio. O poder vai ter que aprender se comunicar melhor com seus jurisdicionados para evitar o que vem ocorrendo com os dois outros decorrente de divergências públicas. Não raro ásperas.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.