RONDONOTICIAS terça-feira, 16 de julho de 2019 - Criado em 11/10/2001

Caso Bernardo: 11 dias após julgamento, réu deixa a cadeia

Condenado por homicídio e ocultação de cadáver a nove anos e meio de prisão, ele já atingiu condições para receber liberdade condicional


Zero Hora

26/03/2019 12:11:45 - Atualizado

TRÊS PASSOS RS - Após quase cinco anos preso, um dos quatro condenados por assassinar o menino Bernardo Boldrini, 11 anos, em 2014, em Três Passos, deixou o presídio na noite de segunda-feira (25). Evandro Wirganovicz, 36 anos, recebeu o direito de liberdade condicional por volta das 19h. Ele foi considerado culpado pelos crimes de homicídio simples e ocultação de cadáver durante o histórico julgamento, que teve a sentença proferida em 15 de março.

Segundo o advogado de Evandro, Luiz Geraldo Gomes dos Santos, a saída de seu cliente da cadeia atende a pedido feito pela banca à juíza Sucilene Engler, responsável pelo processo. Irmão de Edelvânia Wirganovicz, que era amiga da madrasta de Bernardo, ele teve pena imposta de nove anos e seis meses e estava preso desde 2014. 

Edelvânia diz que abriu cova de Bernardo sozinha e que madrasta a ameaçouEdelvânia diz que abriu cova de Bernardo sozinha e que madrasta a ameaçou

— O Evandro já havia atingido o tempo de cumprimento de pena, que é requisito objetivo, e bom comportamento carcerário, que é requisito subjetivo. Era um direito que ele já havia adquirido — declarou o advogado.

Evandro foi acusado pelo Ministério Público por ser o responsável por abrir previamente a cova onde o menino seria enterrado. Ele era o único dos quatro condenados que cumpriu pena em Três Passos. Agora, de acordo com o advogado, ele tentará retomar a vida na região. Antes de ser preso, ele morava em Frederico Westphalen – cidade onde o menino foi encontrado morto.

— Ele vai retomar a vida dele, trabalhar, voltar com os laços de amizade. Esquecer o que aconteceu e seguir em frente — diz o advogado.

O condenado tem agora a obrigação legal de se apresentar de três em três meses ao judiciário para dizer onde mora e suas atividades. Mesmo com sua  liberdade, a defesa vai entrar com recurso pedindo a sua absolvição, porque o considera  inocente.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.