RONDONOTICIAS domingo, 21 de abril de 2019 - Criado em 11/10/2001

Documentário vilhenense alcança mais de 3 milhões de views

A obra foi contemplada com o prêmio “Lídio Sohn” do Governo de Rondônia através da Sejucel.


ASSESSORIA

29/01/2019 11:32:18 - Atualizado


YOUTUBE: Documentário vilhenense alcança mais de 3 milhões de visualizações

FOTO: (Divulgação)

RO - O documentário “Os Nambiquaras e o Ritual da Menina-moça” produzido pelos produtores culturais vilhenenses Washington Kuipers, Marcio Guilhermon e Andréia Machado alcançou em menos de um ano mais de três milhões de visualizações no YouTube.

O curta metragem foi produzido em Vilhena e contemplado com o prêmio de vídeo documentário “Lídio Sohn” do Governo de Rondônia através da Superintendência da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel).

Segundo Washington Kuipers, a produção já conta com 3.271.433 visualizações, mais de 360 comentários e 6.900 curtidas no canal do YouTube do Serpentário Produções.

A produtora cultural Andréia Machado informa que o documentário tem a duração de 27 minutos e retrata o ritual da menina-moça praticado há muitos anos pelos indígenas Nambiquaras que povoam Rondônia.

Andréia Machado afirma que o grupo está muito feliz com sucesso que o documentário está fazendo na internet.  “Estamos muito felizes, pois pessoas de todo Brasil estão assistindo o documentário e conhecendo a cultura amazônica, isso faz o trabalho valer à pena. Obrigada a todos pelo carinho. Já estamos trabalhando em outro projeto que também vai retratar a cultura amazônica”, diz Andréia Machado emocionada.   

O produtor cultural Marcio Guilhermon lembrou que a obra foi exibida nos municípios de Vilhena, Pimenteiras do Oeste, Ji-Paraná e Porto Velho. “Além oferecemos oficinas de audiovisual nestes municípios, tudo com objetivo de incentivar a produção de cinema em Rondônia”, disse Marcio Guilhermon.

Washington Kuipers ressalta que as pessoas que ainda não tiveram a oportunidade de assistir o documentário podem acessar o canal do Serpentário Produções no seguinte link do link: 

Espero que as pessoas continuem assistindo o documentário e que possam conhecer e valorizar a cultura amazônica” finalizou Washington Kuipers.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.