14/05/2017 16:16:01 - Atualizado em 15/05/2017 08:38:53

CRÔNICA: MÃE - A mais bela invenção de Deus - Por Arimar Souza de Sá

MÃE - A MAIS BELA INVENÇÃO DE DEUS - Por Arimar Souza de Sá

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

No atoleiro em que estamos de nuvens negras, noites escuras e águas revoltas, permanece ainda impávida como estrela de luz purpurina, a sagrada figura da mãe. E um dia apenas para homenageá-la, é apenas uma gota d’água no oceano de amor que elas representam.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Neste domingo as portas do meu e do seu coração se abrem com ternura, para homenagear os entes mais queridos do universo: Suas Excelências as Mamães, essas doces e incríveis costureiras de Deus, na fantástica missão de gerar e criar filhos.

Como o sol, elas não têm cores. Não são negras, não são brancas, cafuzas, mulatas, são Mães, cujos corações ainda que feridos, não endurecem com a ferrugem do tempo.

Como o vento e a luz das estrelas, elas são a suavidade o porto seguro de esperança para os filhos.

Como chuvas, nos bastidores infinitos uterinos, elas molham intensamente a criar que vai nascer.

Como árvores, elas deixam prosperar os galhos, envelhecendo-as na sabedoria de ser o tronco, para suportar as tempestades da vida;

À noite, elas se tornam vigilantes e, como o dia, se transformam no nosso grande sol.

Mãe é isso aí!

Aqui, ali ou acolá, lá para as bandas do sertão, no mutirão das serras, nas encostas dos morros, nos campos largos dos pampas, nas coxilhas do sul ou nas pradarias fantásticas de Roraima; nos rios, nas ribeiras, nas palafitas, nas favelas ou nos arranhas céus; em Porto Velho ou em Andaluzia na Península Ibérica, seja lá onde for, haveremos sempre de encontrar essa figura magistral, imponente e grandiosa chama MÃE – A MAIS BELA INVENÇÃO DE DEUS.

É ela que neste imenso deserto em que estamos, tonifica-se com as águas do céu, para ser o grande oásis de nossas vidas.
Na revisão histórica tivemos grandes MÃES e impróprio seria nominá-las para não cometer injustiça. Não obstante, uma delas é imperativo distinguir, Maria de Nazaré a Mãe de Jesus.
Destaco aqui, é claro, com todo o carinho, a figura de minha MÃE, Dona Alayde Souza de Sá, e relembro de seus conselhos nos santificados dias de minha infância.

Dos seus olhos brilhando, das suas lágrimas, da sua alegria, da sua dor, do seu canto de ninar, do seu desvelo, do seu entregar-se tanto, sem pedir nada em troca. Da sua vocação de ninar na chuva, quanto na tempestade. O meu reconhecimento e as minhas homenagens...

Abrindo aqui, é claro, um espaço para todas as mães, fazendo-as crer que o seu trabalho santo, definitivamente, tem parceria com o ofício de Deus.

Para as mães que estão doentes, a minha prece. Para as que se foram deixando um rastro insubstituível de saudade, um minuto de silêncio às suas almas que navegam nesse imenso oceano que demanda a Deus.

E o que diria o filho poeta à sua mãe e a todas as mamães.

Mães do universo,

Encantadoras rosas que desabrocham no saguão da vida,
Velem por nós,
Não morre ta mãe!
Mães de todas as cores ou formatos de cetim,
Velem por nós, antes que o sol se deite.
Mães da alegria e da dor, do sofrimento, do amor e da esperança, velem por nós.
Mães de mil mistérios:
De estrelas,
De sol, e de lua cheia,
Velem por nós, mãe, sempre, muito, por toda vida.
Porque se mãe, sobretudo, é um muito de Deus em forma de mulher.
Que Deus as proteja sempre.

Concebi esta crônica para homenagear todas as mamães. Em especial a minha, dona Alayde Souza de Sá, que criou seis filhos, sem ao menos por um dia, estabelecer diferença de amor entre eles. Mãe eu te amo. Beijos no seu coração.

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias