10/09/2015 10:35:48 - Atualizado em 10/09/2015 10:44:09

MP realiza inspeções no João Paulo II e sugere medidas para amenizar superlotação no hospital

Porto Velho - O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça da Proteção e Defesa da Saúde, após diversas inspeções realizadas no Hospital de Emergência e Pronto-Socorro João Paulo II, a última ocorrida no dia 1º de setembro, encaminhou ofício recomendatório aos dirigentes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para que implantem, em caráter de urgência, um Sistema de Regulação naquele pronto-socorro.

A medida visa, em caráter emergencial, amenizar o problema da superlotação no Hospital de Emergência João Paulo II, especialmente nos fins de semana, agravado pelo grande número de acidentes de trânsito, mormente envolvendo motocicletas. Outro fator complicador que contribui para a superlotação é o encaminhamento de pacientes do interior sem prévia comunicação à unidade da capital.

A Promotora de Justiça da Saúde, Rosângela Marsaro Protti, afirma que o encaminhamento de pacientes do interior, sem planejamento, impõe grande desgaste tanto à equipe médica do pronto-socorro quanto aos próprios pacientes, que precisam aguardar no local a vacância de leito para sua internação ou são obrigados, ainda, a permanecer dentro das ambulâncias.

Nas inspeções realizadas pela equipe da Promotoria de Saúde, verificou-se que apesar da lotação do hospital estar além de sua capacidade física, os pacientes estavam sendo atendidos e medicados pela equipe médica, sem registro de falta de material de consumo ou medicamentos.

Solução definitiva

“O maior problema do Hospital João Paulo II está em sua estrutura física, que já não comporta o grande número de pacientes”, salienta a Promotora de Justiça Rosângela Marsaro Protti. Segundo a Promotora, a solução definitiva para o problema da superlotação do hospital somente virá com a construção e implementação de uma nova unidade hospitalar de emergência em Porto Velho. Ela destaca que a atual unidade foi inaugurada em 1984, portanto para atender uma demanda bem diferente da atual.

Quanto ao problema de trânsito, Rosângela Marsaro adiantou que também estão sendo adotadas medidas administrativas, por meio das Promotorias de Justiça do Urbanismo e da Segurança Pública, para que as autoridades estaduais e municipais de trânsito adotem providências no sentido de coibir o alto índice de acidentes de trânsito na capital, situação que é um dos principais motivos de superlotação do João Paulo II, principalmente envolvendo vítimas de acidentes com motos.

De acordo com estatísticas da direção do hospital, de janeiro a dezembro de 2014, foram registrados 15.558 internamentos na unidade. Os internamentos de pacientes oriundos do interior chegaram, neste período, a 10.319.

Em relação a atendimentos envolvendo acidentes de trânsito, em todo o ano de 2014, foram registrados 5.925 atendimentos. De janeiro a julho de 2015, o hospital já registrou 3.158 atendimentos por acidentes de trânsito, sendo que destes 2.502 envolveram apenas motos.

fonte: Assessoria

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias