RONDONOTICIAS segunda-feira, 10 de dezembro de 2018 - Criado em 11/10/2001

Em um mês, gasolina, diesel e etanol aumentam de preço em Porto Velho

Variação de preços nos postos é maior no etanol, aponta levantamento


g1/ro

13/10/2018 13:51:21 - Atualizado

Os preços dos litros da gasolina, diesel e etanol registraram alta em Porto Velho na comparação entre os meses de agosto e setembro. O levantamento foi feito pelo Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Para um dos coordenadores do levantamento, a alta na taxa de câmbio no último mês encareceu o combustível.

Em setembro, o preço médio do litro da gasolina comum foi de R$ 4,66, um aumento de 3,62% em comparação ao mês de agosto. Quando comparado ao mesmo período do ano passado, o aumento do combustível chega a 21,41%.

A cifra também é alta quando analisada a diferença de preço entre os postos de combustível da capital. O preço de um local para outro chegou a variar R$ 0,69 em setembro. Isso significa que os moradores de Porto Velho encontraram valores de R$ 4,29 a R$ 4,98 na hora de abastecer o veículo com gasolina comum.

O levantamento também aponta que o preço mais baixo do litro da gasolina não registrou variação. Já o mais alto variou de R$ 4,80 para R$ 4,98 em um mês.

Diesel

O combustível que esteve no centro de uma das maiores paralisações do Brasil também registrou aumento. A alta no preço do litro do diesel foi de 5,72% no mês de setembro em comparação com agosto, maior do que a gasolina e etanol no mesmo mês.

Quando comparado há um ano, o preço do litro do diesel registrou alta de 11,48%.

Na contramão do que o Governo Federal havia estipulado, a diferença do preço do litro entre os postos de combustível da capital variou 13,29%. O litro mais barato do diesel registrado foi de R$ 3,53, enquanto o mais caro chegou aos R$ 4,00, uma diferença de R$ 0,47 em Porto Velho.

O preço mais baixo do litro do diesel teve variação, saindo de R$ 3,44 para R$ 3,53 em setembro. No preço mais alto a variação foi maior, saindo de R$ 3,85 para os R$ 4,00 no mesmo mês.

Etanol compensa?

Em setembro, o combustível que costuma ser uma opção mais barata para veículos flex teve o preço médio do seu litro cotado a R$ 3,66.

O aumento foi de 2,61% em comparação a agosto. Comparado ao mesmo período do ano passado, o litro do etanol aumentou 7,58%.

A diferença de preço do litro do etanol entre postos de combustível de Porto Velho chegou a R$ 1,11, maior que a gasolina e diesel. O preço do litro do combustível mais barato na capital foi de R$ 3,29 e o mais caro foi de R$ 4,40.

O preço mais baixo do litro variou 2,81%, passando de R$ 3,20 em agosto para R$ 3,29 em setembro desse ano. Já o valor mais alto do combustível variou um pouco mais, 10%, passando de R$ 4,00 para R$ 4,40 no mesmo período.

Custo-benefício

Segundo os dados do PET-Unir, o preço do etanol corresponde a 79% do preço da gasolina comum. Com isso, o etanol não seria a opção mais recomendada se o custo-benefício for abaixo de 70%.

Ainda com base no levantamento, se o preço médio da gasolina comum em setembro foi de R$4,66, então o preço do álcool deveria ser de, no máximo, R$3,26 para compensar.

A análise dos preços pelo PET-UNIR foi baseada nos dados disponíveis pela Agência Nacional do Petróleo – ANP, que realiza pesquisas em postos de combustível em Porto Velho.

Por que houve aumento?

Para um dos coordenadores do PET, o economista Jonas Cardoso, os preços são, basicamente, influenciados pela adoção da política de preços da Petrobras, que se baseia no preço do barril de petróleo no mercado internacional e na variação das taxas de câmbio (cotação do dólar/real).

Para ele, o aumento nos preços dos litros dos combustíveis é resultado, principalmente, da mudança na taxa de câmbio que teve alta em setembro.

“O aumento na taxa de câmbio acaba encarecendo a compra de bens importados. Como boa parte do nosso combustível é importado (de mercados internacionais), esse fator acaba alterando os preços dentro do país”, afirma o economista.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.