22/10/2016 09:30:41 - Atualizado em 22/10/2016 09:30:41

Petrobras voltará ao seu melhor desempenho em cinco anos, diz presidente

BRASIL - Por dois anos, a Petrobras estampou manchetes de jornal protagonizando um dos maiores escândalos de corrupção já vistos. O escândalo deixou a companhia com uma dívida maior do que a de qualquer outra companhia de petróleo no mundo e ajudou a derrubar a ex-presidente Dilma Rousseff.

Pedro Parente, o novo presidente da Petrobras e responsável pela tarefa de recuperar a companhia, sobre seus planos futuros. Entre os objetivos estão a venda de ativos, mudança de regras internas e acordos de parceria com empresas estrangeiras.

Leia abaixo os principais trechos da entrevista.

Pedro Parente - Acabamos de anunciar um plano estratégico. É um plano de 2017 a 2021. Acredito que é um plano muito bom e sólido. Não foi fácil fazê-lo, mais de cem pessoas da companhia estavam envolvidas, inclusive os executivos-chefes e o comitê executivo. Mas essa foi a parte mais fácil. A parte mais importante é entregar o plano.

Dividimos o plano em dois períodos - os primeiros dois anos e os últimos três. Acho que depois desse período veremos a companhia de volta a seus melhores dias.

Pedro Parente - Depois de cinco anos, como expliquei a você. Os primeiros anos serão os mais duros em termos financeiros, os anos em que continuaremos nossa parceria e nosso programa de desinvestimento.

Após esses dois anos, nosso plano é chegar a um nível muito mais confortável do que estamos hoje. A data de referência que usamos foi dezembro de 2015. Nessa data, nossa alavancagem, que é o tamanho da dívida comparado à geração operacional de recursos, ou nosso Ebitda (geração de caixa antes de juros, impostos, depreciação e amortização), estava cinco vezes acima.

Nosso plano é reduzi-lo pela metade até 2018. Significa que não teremos mais de 2,5 vezes nosso Ebitda do mesmo tamanho de nossa dívida.

Pedro Parente - Não estamos apenas vendendo ativos. Em geral, os ativos que estamos vendendo, não todos, não são tão importantes para nossa pasta. Então é uma combinação de fazer parcerias e vender ativos. E nós temos muito mais vantagens com as nossas parcerias. Claro que queremos o melhor preço possível, mas vemos claramente que teremos muitas vantagens.

Pedro Parente - Eu não acho uma boa ideia depender de apenas uma pessoa. Não é um trabalho feito por uma pessoa só. É um trabalho feito em equipe, uma que está trabalhando duro para colocar a companhia onde ela estava antes.

Então nesses dois anos o que nós estamos fazendo é melhorar a organização estrutural da empresa. Porque você sabe, institucionalização não é apenas organização. É um conjunto de regras que você estabelece em um longo período de tempo.

Então eu acredito que uma combinação dessas regras e a prática dessas regras por dois anos deixará a companhia em uma situação muito melhor e muito mais protegida do que aconteceu no passado.

Pedro Parente - O que é importante saber é que mudamos muitas regras no processo de tomada de decisão interna. Por exemplo, no passado, quando os problemas surgiam, uma única pessoa podia tomar uma decisão muito importante de comprar, contratar ou assinar um contrato. Isso não é mais possível. Você precisa de ao menos dois diretores executivos assinando esses contratos. Você precisa de ao menos cinco comitês diferentes envolvidos nessa operação.

Então, como eu disse, o conjunto de regras que implementamos, a nova direção da companhia, a conformidade às regras - o fato de que o próprio governo instituiu uma uma lei determinando regras bastante rigorosas para aqueles que fizerem parte do comando da empresa, nós acreditamos, sim, que essas medidas vão dificultar bastante que no futuro alguém tente driblar as regras como fizeram no passado.


comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias