RONDONOTICIAS segunda-feira, 25 de maio de 2020 - Criado em 11/10/2001

Novas alíquotas do INSS entram em vigor; veja descontos por salário

Taxa é progressiva. Maior economia em relação aos valores cobrados atualmente ficará para quem ganha pouco mais de R$ 3 mil...


Publicada em: 01/03/2020 06:37:57 - Atualizado

As novas alíquotas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) entram em vigor neste domingo (1º) e vão mudar o cálculo de desconto da contribuição previdenciária. As regras aprovadas na Reforma da Previdência passarão a incidir sobre o salário de março. 

O cálculo amplia de três para quatro as faixas salarias sobre as quais incidem diferentes percentuais de desconto, no caso dos trabalhadores da iniciativa privada. Veja como fica:

- 7,5% até um salário mínimo (R$ 1.045)
- 9% para quem ganha entre R$ 1.045,01 R$ e 2.089,60
- 12% para quem ganha entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40
- 14% para quem ganha entre R$ 3.134,41 e R$ 6.101,06

O valor de R$ 6.101,06 é o atual teto fixado pelo INSS para pagamentos de aposentadorias e também o valor máximo salarial considerado para aplicação das alíquotas de desconto.

Outra mudança é o fato de cada percentual incidir sobre sua faixa salarial. Quem ganha o teto, por exemplo, precisará fazer a conta considerando as quatro faixas.

Na prática, o desconto efetivo sobre o salário vai vai variar entre 7,5% e 11,69%. O Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário calculou como ficam alguns dos salários. Veja na tabela abaixo.


Segundo a presidente do instituto, a advogada Adriane Bramante, a nova forma de cálculo muda a conta anterior. "Antes era sobre todo o valor, e agora paga de acordo com a progressividade do salário", explica. 

As alíquotas válidas até o sábado (29) eram:

- 8% para quem ganhava até R$ 1.830,29
- 9% para quem ganhava de R$ 1.830,29 até 3.050,52
- 11% para quem ganhava de R$ 3.050,52 até R$ 6.101,06

A nova divisão em quatro faixas buscou em linhas gerais trazer economia para os que ganham menos e aumentar o desconto para os que têm maiores salários. A redução do desconto para quem ganha o salário mínimo, de R$ 1.045, será de R$ 5,23.

Na prática, os mais beneficiados são os que se encontram em uma faixa intermediária. Quem ganha pouco acima de 3.050,52 terá economia em torno de R$ 48 com a mudança, pois a alíquota de 11% deixará de incidir sobre seu salário global. Nesse caso, o cálculo passa a ser feito considerando as alíquotas de 7,5%, 9% e 12%.

Já quem ganha o teto ou acima de R$ 6.101,06, pagará R$ 41,98 mais do que anteriormente.


MATÉRIAS - DENÚNCIAS - VÍDEOS - FOTOS

Fale com a redação do Rondonotícias redacao@rondonoticias.com.br