15/02/2016 17:16:42 - Atualizado em 18/02/2016 20:34:02

Na entrevista com o Vice Governador de Rondônia, Daniel Pereira, ele fala de avanços na administração, da crise na educação, do combate à violência no Estado, sobretudo na saúde...

RONDONOTICIAS: Governador, matérias nacionais deram destaque ao Estado de Rondônia como um dos piores Estados da Federação, em saneamento básico. Qual interpretação que o senhor faz disto. Dá vergonha?

DANIEL PEREIRA: Com certeza, e é uma estatística que precisamos mudar. Já existe uma série de ações no sentido de mudar esse quadro. Esses são dados que precisamos trabalhar em cima. Mas nós temos, no Estado, municípios que já estão com quase todo o saneamento pronto, a exemplo de Cerejeiras e Ministro Andreazza. O grande problema que Rondônia tem é a capital. Porto Velho arrastou um recurso por 8-9 anos, e hoje sofre as consequências. Esperamos trabalhar em cima disso e mudar da pior capital do país para as 10 melhores.

RONDONOTICIAS: Essa perspectiva seria para quando?

DANIEL PEREIRA: O recurso já está aí e a CAERD vem fazendo a parte dela em relação ao projeto. O nosso empenho é de mudar essa estatística e, quem sabe, voltar aqui e comemorar a mudança, para melhor.

RONDONOTICIAS: Vamos falar de violência. Em que pese, o carnaval de Rondônia 2016 ter sido um dos mais tranquilos dos últimos tempos, mas os roubos, principalmente às residências, e assaltos a mão armada, foram muitos. Que providências o Estado vêm tomando para coibir esse abuso contra as famílias, perpetrados pelos marginais?

DANIEL PEREIRA: Fazer qualquer afirmação de que estamos em um cenário ideal seria faltar com a verdade com o cidadão. Agora, não é um simples gesto de indignação, sem ter um conhecimento maior do problema, que vamos resolver a situação. O número de violência não é compatível com a quantidade de efetivo, ou seja, policiais, nas ruas da cidade. O problema é bem maior. Para minorar o problema da violência, há de se ter outras intervenções, além do investimento na segurança publica.

RONDONOTICIAS: Por exemplo?

DANIEL PEREIRA: Temos em torno de 400 policiais em fase de treinamento para aumentar o efetivo nas ruas. Porém, nós temos alguns problemas que fogem do controle do próprio Estado, que aumentam os índices de violência, como por exemplo os 1.200 km de fronteira com a Bolívia, que é de responsabilidade do Governo Federal, e não é um problema só de Rondônia, são de todos os países de fronteiras, além, é claro de problemas sociais.

RONDONOTICIAS: Hoje o Estado perde a guerra para o poder clandestino então?

DANIEL PEREIRA: O Brasil está perdendo a guerra para o poder clandestino há muito tempo, e nós, infelizmente, fazemos parte desse contexto.

RONDONOTICIAS: Mudando de assunto. Há um número grande de pessoas que ainda reclamam muito da superlotação do Hospital João Paulo II. Fala-se muito que o município não faz a sua parte na questão primária, e superlota o hospital. Esses elementos ainda estão presentes na saúde de Rondônia? E se estão, o que o Estado faz para mudar a cara desse setor?

DANIEL PEREIRA: Nós temos que, primeiro, fazer dois cortes históricos, um antes do Confúcio e outro depois. Nos últimos quatro anos, o Estado da Federação que mais cresceu em números de leitos ofertados a população foi Rondônia. Cresceu mais de 700 leitos. Só tem um Estado da Federação que ganha, em estatística, de Rondônia, que é o Rio Grande do Sul.

RONDONOTICIAS: Isso já é o suficiente para um manter-se um ideal da saúde pública em Rondônia

DANIEL PEREIRA: Não. A oferta de leito é incompatível com a qualidade do trabalho prestado. Mas nós estamos aumentando as ofertas, como o hospital do câncer, que agora tem no nosso Estado. Estamos combatendo a demanda do interior abrindo hospitais que antes estavam parados, diminuindo em mais de 80% o número de ambulâncias que vinham para a capital. Está em construção um hospital para resolver em definitivo a questão do João Paulo II, que é um local visto como problema, mas ainda é a nossa solução, é o único pronto socorro do Estado.

RONDONOTICIAS: O vice governador de Rondônia, se precisasse, que Deus há de livrá-lo, ele iria para o João Paulo II, em caso de necessidade de saúde?

DANIEL PEREIRA: Em uma situação de emergência, se eu tivesse que escolher no Estado de Rondônia entre o João Paulo II e hospitais privados, eu escolheria, sem sombra de dúvidas, o João Paulo II. Os melhores profissionais daqui estão lá, e os melhores equipamentos disponíveis em Rondônia, também estão lá.

RONDONOTICIAS: Outro assunto que nos parece ainda sem solução, é o caso das pessoas que sofreram com a enchente em São Carlos? Ainda há gente que não teve sua casa de volta.

DANIEL PEREIRA: Nós entregamos, há poucos dias, mais de 700 apartamentos que foram destinados a esse pessoal. Tem mais 750 que estão prontos para serem entregues nos próximos dias, além de alguns projetos sociais para amenizar o sofrimento dessas pessoas. É o que está sendo possível fazer nesse momento.

RONDONOTICIAS: Sobre a educação, a população tem dito que a secretária aparece pouco. Como anda essa área do Estado, governador?

DANIEL PEREIRA: O papel da secretária não é aparecer, é desenvolver resultados. A professora Fátima é militante e de sala de aula, e tem feito um belíssimo trabalho, agora, esse belíssimo trabalho está muito a quem do que precisamos, mas isso é um problema nacional. Infelizmente a educação passa por uma crise muito grande e nós não estamos indiferentes.

RONDONOTICIAS: Sobre a intervenção da parceria do governo com o município, o que de fato já foi feito, pelo Estado, em de Porto Velho?

DANIEL PEREIRA: Em 2015, em uma parceria do município com o Estado mais de 80 km foram feitos nas ruas. Uma Coordenadoria Metropolitana foi criada, também em parceria. Compramos uma usina de benefício para o asfalto e muitas outras coisas.

RONDONOTICIAS: Governador, obrigado pela sua entrevista.

DANIEL PEREIRA: Estamos à disposição, foi um prazer.

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias

mais lidas