publicidade

Aos 68 anos, morre 'Quini', ídolo do Barcelona e da Espanha

Jogador faleceu na cidade Gijón, vítima de uma parada cardíaca

ESPORTE - Ídolo do Barcelona e da seleção espanhola, , o ex-jogador Enrique Castro"Quini", de 68 anos, morreu nesta quarta-feira (28) na cidade de Gijón, após sofrer uma parada cardíaca.

A morte do "Bruxo" comoveu a Espanha, e diversas personalidades do esporte dedicaram homenagens a Quini, como Andrés Iniesta, Diego Maradona, Lionel Messi e Pep Guardiola.

"A verdade é que ele [Quini] era um goleador que já não existe mais, ele não podia tocar na bola durante todo o jogo, mas quando ele a tocava com a esquerda, ele fazia isso como o melhor canhoto. No pé direito, ele fazia como o melhor destro, a bola estava sempre procurando por ele", escreveu Maradona. Quini atuou pelo Barcelona entre 1980 e 1984, ao lado de Maradona e Javier Urruticoechea. Ele conquistou na equipe catalã duas Copas do Rei, uma Recopa Europeia, uma Copa da Liga e uma Supercopa da Espanha.

O ex-atleta foi nos anos 80 um dos atletas mais bem pagos da história do Barcelona, ganhando na época o equivalente a cerca de 500 mil euros atualmente. Outro clube pelo qual Quini fez história foi o Sporting Gijón, onde atuou em mais de 400 jogos e anotou 231 gols. Além disso, ele ajudou os rojiblancos a chegarem em um histórico vice-campeonato espanhol na temporada 1978/79.

Já pela seleção espanhola, esteve presente nas Copa do Mundo de 1978 e 1982, e com a camisa da Fúria marcou oito gol em 35 partidas.

Um dos fatos mais curiosos da vida de Quini foi um sequestro em 1981. Como ele era um dos principais goleadores do Barcelona, dois homens o sequestraram, deixando-o desaparecido por 25 dias.



Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.

publicidade