06/12/2017 09:37:07 - Atualizado em 06/12/2017 09:37:07

Pais e alunos protestam contra a falta de transporte nas escolas rurais

Para chamar a atenção da autoridades moradores interditaram por horas a rua que dá acesso ao Distrito de São Carlos.

Um protesto pela paralisação das aulas, alunos e pais de escolas da Zona Rural de Porto Velho interditaram a Estrada da Penal por várias horas, nesta terça-feira (5), na altura que dá acesso ao Distrito de São Carlos. Segundo pais, as aulas não estão ocorrendo por falta de transporte escolar.

A interdição na estrada aconteceu na manhã desta terça-feira e reuniu um grupo de pessoas de várias comunidades da Zona Rural de Porto Velho.

Moradora da comunidade do Ramal Aliança, onde fica a Escola Francisco José Chiquilito Coimbra Erse, a comerciante Ivonete Lima diz que não é a primeira vez que ocorre este problema.

"Essa já é a quarta vez que essa escola para esse ano, e três delas pelo mesmo motivo: os ônibus", diz.

De acordo com os moradores, a paralisação dos ônibus é motivada pelo não pagamento aos motoristas pela empresa responsável. Além da falta dos ônibus, as estradas que dão acesso às escolas estão em condições precárias, com buraco e lama.

Mãe de três crianças, que deveriam estar na estudando, a dona de casa Ana Sales falou à Rede Amazônica sobre a ansiedade das crianças em irem para escola.

"Todo mundo fica em uma mesa que tenho lá em casa e falam: 'mãe eu quero estudar'. Aí eu pego um monte de livro que tem lá em casa para eles estudarem", fala.

Em busca por informações sobre a volta das aulas Ediléia Ramos diz sempre encontrar a escola fechada. "Não tem informação. Sempre que venho aqui a escola está fechada. Os únicos prejudicados são os nossos filhos", desabafa.

Sem iniciar os conteúdos referentes ao quarto bimestre do ano letivo, a estudante Gabriele Ramos diz temer ficar sem férias. "As aulas nos ajudam e a gente tem que terminar esse ano".

Em nota, a prefeitura respondeu que apenas a paralisação dos ônibus ocorreu parcialmente e que para a volta integral da equipe é necessário que a empresa de transporte apresente a documentação regulariza.

Após essa regularização segunda a Secretaria Municipal de Educação (Semed) o ano letivo será revisto de forma que não prejudique os estudantes.

Leia na íntegra a nota divulgada pela Prefeitura de Porto Velho:

A Secretaria Municipal de Educação - SEMES informa à comunidade estudantil da Zona Rural do Município de Porto Velho, que utiliza os serviços de transporte escolar prestados pelas empresas Amazônia Agência de Viagem e Turismo Ltda - AMAZONTUR e Transporte e Turismo Ltda - EPP- RONDONORTE, que vem buscando diuturnamente, junto às empresas, o retorno imediato da regularização do transporte escolar.

Para que o pagamento seja efetuado, é imprescindível que as empresas apresentem todas as Certidões Negativas Estadual, Municipal, Federal e Trabalhista, além de toda regularização tributária, situação esta que elas não têm conseguido sanar.

A paralisação é parcial, mas tem causado transtorno aos alunos e à própria SEMED, que vem buscando o retorno, dos serviços do transporte escolar na sua totalidade.

Com a regularização, as escolas serão orientadas a realizar adequação no calendário escolar, de acordo com as necessidades específicas e de forma a repor todos os dias paraisados, a fim de evitar prejuízo aos alunos.

fonte: G1

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias