RONDONOTICIAS quarta-feira, 26 de setembro de 2018 - Criado em 11/10/2001

Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa marca fiscalização no Hospital João Paulo II

Os parlamentares irão fazer uma visita surpresa ao local para averiguar a situação da unidade.


DECOM

13/03/2018 16:42:24 - Atualizado

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa se reuniu no plenário da Casa de Leis na manhã desta terça-feira (13) para discutir fiscalizações nas unidades de saúde do Estado e fazer encaminhamentos para realização de visitas futuras nos hospitais.

O deputado Léo Moraes (PTB) fez um requerimento para realização de uma visita no Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, na capital. “Queria solicitar a comissão para que autorize uma inspeção no João Paulo”.

Léo afirmou que já tentaram evitar sua entrada nos porões do hospital e pediu que, se necessário, sejam levados seguranças para ajudar com a inspeção. “Para que não haja o impedimento da fiscalização, qualquer coisa podemos chamar a segurança para ir junto”, argumentou o parlamentar.

O deputado Só na Bença (MDB), membro da Comissão, afirmou que é preciso acompanhar os trabalhos dos hospitais e pedir relatórios de listas de espera. “Estamos sempre acompanhando, mas precisamos estar atentos e ter certeza daquilo que realmente está se passando nas unidades”.

O deputado Luizinho Goebel (PV), presidente da Comissão de Saúde, disse que de fato, como parlamentar, nunca teve acesso a unidades de Porto Velho para fiscalização. “Por outro lado, visitamos unidades de Cacoal e fomos muito bem recebidos”.

Ele ressaltou que, em uma das visitas, foi constatado que o hospital de urgência e emergência de Cacoal sofre com a falta de ambulâncias. “Houveram denúncias de pessoas que já tiveram de esperar até três dias para ser transportado de uma unidade para outra pela falta de transporte. Isso deve ser visto com cautela”.

Como encaminhamento, Goebel registrou o pedido de Moraes para uma fiscalização no João Paulo II. “Iremos combinar uma data em off, mas deixaremos registrado aqui que haverá uma fiscalização da unidade, mesmo que seja necessário o uso de segurança para adentrar o hospital”, afirmou Luizinho Goebel.

O Dr. Neidson (PMN) fez um pedido a Comissão para a elaboração de uma solicitação de informações à Prefeitura de Guajará-Mirim, para saber a questão de atendimentos do hospital regional do município. “Queremos saber como anda a situação lá, se há atendimento a estrangeiros e pedir também o relatório financeiro”.

Jesuíno Boabaid (PMN) também participou da reunião para falar sobre uma denúncia feita por um jornalista de Vilhena afirmando que, em 2015, o secretário de saúde do Estado, Williames Pimentel, fez uma visita a cidade prometendo resolver algumas questões do setor que estavam precárias, porém não fez nada.

“O jornalista fez uma denúncia dizendo que houve estelionato, então gostaríamos de pedir a Prefeitura de Vilhena um relatório do que foi feito na época e também uma justificativa do secretário por que nada foi feito para resolver a questão caótica”, afirmou.




Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.