11/01/2017 11:28:18 - Atualizado em 11/01/2017 11:28:18

Ministério Público pode pedir a suspensão da implantação do ensino integral

VILHENA,RONDÔNIA- A Direção do Sintero protocolou ontem, dia 09/01, um ofício junto ao Ministério Público, Promotoria de Vilhena, contendo os motivos pelos quais os trabalhadores em educação e as comunidades das escolas estaduais Álvares de Azevedo e Shirlei Ceruti são contra a implantação do Ensino em Tempo Integral nas duas unidades.


No ato da entrega do ofício o diretor da Regional Cone Sul, João Assis, pediu para ser ouvido pela promotoria. Juntamente com pais, alunos e outros trabalhadores das duas escolas, ee foi atendido pela promotora Yara Travalon Viscard, oportunidade em que foram feitos esclarecimentos e exposta a angústia da comunidade sobre as questões relacionadas à falta de condições para a implantação do ensino integral naquelas unidades.


A Promotora respondeu que diante das argumentações apresentadas o Ministério Público de Vilhena deverá solicitar informações do governo do Estado através da Representação de Ensino (CRE), e somente de posse de tais informações tomará as providências necessárias.


Ela considerou as argumentações apresentadas suficientes para pedir suspensão do Programa de Implantação de Ensino em Tempo Integral nas duas escolas. A promotora reconheceu que as escolas Álvares de Azevedo e Shirlei Ceruti não oferecem a estrutura mínima necessária para receber a implantação do ensino integral, e que necessitam de adequações que as adaptem ao programa.


Além de estrutura física adequada e treinamento para os profissionais da educação, para que o programa de ensino em tempo integral seja implantado é necessário que a comunidade escolar seja envolvida, inicialmente em debates sobre o assunto, e que receba todos os esclarecimentos pertinentes, principalmente quanto ao possível remanejamento de alunos para outras escolas.

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias