RONDONOTICIAS terça-feira, 17 de setembro de 2019 - Criado em 11/10/2001

Justiça marca júri de ex-marido acusado de matar professora a pauladas

Ueliton Aparecido da Silva é acusado de matar a professora e agredir o pai dela a pauladas. Crime aconteceu no dia 17 de março, em Candeias do Jamari (RO).


G1

27/08/2019 14:27:41 - Atualizado



RONDÔNIA - O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) marcou para 19 de setembro o júri popular do acusado de matar a professora Joselita Félix a pauladas, em Candeias do Jamari (RO), região metropolitana de Porto Velho. O crime aconteceu no dia 17 de março, na casa do pai da vítima.

O acusado da morte de Joselita é o ex-marido dela, Ueliton Aparecido da Silva, de 35 anos. Eles tiveram um relacionamento por cerca de três anos.

Segundo testemunhas do crime, o homem invadiu a casa do pai de Joselita e agrediu ela e o idoso com pauladas, principalmente na cabeça. Por causa da gravidade dos ferimentos, ela morreu ainda no local.

O pai da professora, de 74 anos, foi ferido na cabeça ao tentar defender a filha, precisou ser levado ao hospital e não pôde acompanhar o enterro da filha.

A Polícia Militar (PM) foi avisada por testemunhas, chegou ao local logo após o crime e deteve Ueliton, que ainda estava na residência. Desde então ele segue preso preventivamente.

A denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado (MP-RO) é pelos crimes de tentativa de homicídio contra o idoso por motivo torpe e com recurso que impediu a defesa da vítima e homicídio qualificado (feminicídio), também por motivo torpe, usando meio cruel e sem possibilidade de defesa da vítima, no contexto de violência doméstica.

No dia 17 de maio foi realizada a primeira audiência de instrução do processo. Na ocasião, Ueliton alegou que matou a professora e atacou o pai dela para se defender enquanto era agredido pelos dois.

Em 27 de junho, o juiz José Gonçalves da Silva Filho decidiu que Ueliton iria ser julgado pelo júri popular.

A data da sessão foi anunciada nesta semana pela 2ª Vara do Tribunal do Júri. Sete jurados sorteados no dia devem votar ao final da sessão indicando se Ueliton cometeu os crimes pelos quais é acusado pelo MP.

A sessão o júri popular está marcada para o próximo dia 19 de setembro, às 8h, no Fórum Criminal, que fica no centro da capital.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.