RONDONOTICIAS quarta-feira, 17 de outubro de 2018 - Criado em 11/10/2001

Chefes da diplomacia de EUA e China trocam farpas em Pequim

O vice-presidente de Estados Unidos também acusou a China de lançar um "salva-vidas" à Venezuela com "empréstimos questionáveis"


Notícias ao MINUTO

08/10/2018 11:47:55 - Atualizado


secretário de Estado americano, Mike Pompeo, e seu homólogo chinês, Wang Yi, deram mostras, nesta segunda-feira (8), de um diálogo pouco diplomático em Pequim.

De passagem por Pequim ao fim de uma viagem pela Ásia em que se reuniu com o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, Pompeo ouviu críticas do ministro das Relações Exteriores chinês sobre as últimas medidas tomadas por Washington, desde a guerra comercial até a vendas de armas a Taiwan.

"Recentemente, enquanto o lado americano continuamente escalou o atrito comercial com a China, também adotou uma série de medicas no tema Taiwan que prejudicam os interesses e os direitos da China, além de fazer críticas sem base sobre as políticas doméstica e externa da China", afirmou Wang a jornalistas, ao lado de Pompeo.

"Estas medidas prejudicam a confiança mútua e atrapalham o futuro das relações sino-americanas, o que vai completamente contra os interesses dos dois povos", continuou. "Nós exigimos que os EUA interrompam essas ações imprudentes."

Pompeo, que estava informando Wang sobre sua recente visita a Kim, respondeu: "Os temas que você caracterizou, tem um desacordo fundamental [sobre eles]". "Temos grave preocupações sobre as ações que a China tomou, e espero ter a oportunidade de discutir cada um deles hoje porque esta é uma relação extremamente importante." A visita de Pompeo aconteceu quatro dias depois de o vice-presidente dos EUA, Mike Pence dizer que a China se intromete na política americana para conseguir uma mudança de presidente.

O vice-presidente de Estados Unidos também acusou a China de lançar um "salva-vidas" à Venezuela com "empréstimos questionáveis" em troca de petróleo, e criticou que tenha convencido Panamá, República Dominicana e El Salvador a romper os laços com Taiwan.

Na sexta-feira, a China classificou as acusações de Pence de "injustificáveis".Pompeo também se encontrou com Yang Jiechi, que lidera a comissão de relações exteriores do Partido Comunista Chinês. "Se as relações entre os dois países continuarem a se deteriorar, podem haver "mudanças profundas" no ambiente estratégico para assuntos regionais como a Coreia do Norte, afirmou em editorial o jornal Global Times.

"Para a Ásia, a severidade dos atritos entre China e EUA está tendo muita atenção e, em certa medida, diluindo a atenção dada ao tema da Península Coreana." 


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.