RONDONOTICIAS domingo, 15 de setembro de 2019 - Criado em 11/10/2001

Trump diz que quer acordo comercial com o Brasil e elogia Bolsonaro

Os dois países já começaram a mapear barreiras ao comércio bilateral que não são tarifárias para avançar nas negociações


Reuters

30/07/2019 11:27:47 - Atualizado

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira (30) que quer seguir em frente com um acordo comercial com o Brasil, abrindo portas para questões comerciais entre os dois países. O presidente americano não deu detalhes de como estão as negociações.

Em conversas com repórteres na Casa Branca, em Washington, Trump citou o que diz ser um bom relacionamento com Brasil e elogiou o presidente Jair Bolsonaro, segundo ele "um grande cavalheiro" com quem tem um "relacionamento fantástico".

Exclusivo: 'Mercosul subiu nas prioridades de todo o mundo', diz chanceler Ernesto Araújo

-Tenho um ótimo relacionamento com o Brasil. Tenho um relacionamento fantástico com o presidente. Ele é um grande cavalheiro. Acho que ele está fazendo um ótimo trabalho - disse Trump. -Vamos trabalhar em um acordo de livre comércio com o Brasil. O Brasil é um grande parceiro comercial.

Bolsonaro e Trump já conversaram sobre a viabilidade de um acordo comercial entre o Mercosul e os Estados Unidos durante a cúpula do G-20 no Japão, no fim de junho. Os dois presidentes realizaram um encontro bilateral horas antes do anúncio de que o bloco sul-americano e a União Europeia (UE) haviam assinado um tratado de livre-comércio.

UE-Mercosul: Queijo canastra e café mogiana: conheça as  iguarias com status privilegiado no acordo

O Brasil assumiu a presidência rotativa do Mercosul pelos próximos seis meses.

Em parelalo, Brasil e Estados Unidos já começaram a fazer um mapeamento de todas as barreiras ao comércio bilateral que não são tarifárias. A ideia é que os dois países passem a fazer acordos pontuais tanto na parte comercial, como o fim de restrições técnicas e fitossanitárias, quanto em áreas estratégicas, com destaque para serviços, investimentos e compras governamentais.

PUBLICIDADE


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.