03/12/2014 18:16:02 - Atualizado em 04/12/2014 11:11:32

​“Não posso revelar detalhes pois a investigação ainda está em sigilo”, diz procurador sobre Operação Ludus

Investigações continuam e podem comprovar mais crimes ...

Porto Velho, Rondônia: A entrevista coletiva concedida pelo procurador geral do MP/RO, Heverton Aguiar, em nada acrescentou relativo a novas informações.

O procurador, que estava acompanhado por representantes da PRF, da Polícia Militar e do próprio Ministério Público, abriu a conversa com os jornalistas dizendo que por questões sigilosas não iria divulgar a lista com os nomes dos presos na operação.

Aguiar justificou a negativa em declinar os nomes, alegando que as investigações ainda estão ocorrendo, o que segundo ele, atrapalharia a conclusão do processo.

“Como ainda estão ocorrendo buscas e apreensões e o trabalho ainda não foi concluído, nós não iremos revelar lista com nomes para não atrapalhar o andamento do processo. Peço desculpas por não poder entrar em maiores detalhes de como o esquema funcionava, mas posso garantir que essa quadrilha agia especificamente na obra do espaço alternativo. Vamos continuar fazendo o nosso trabalho de fiscalizar a aplicação dos recursos públicos”, disse o procurador.

Segundo o MP, das 14 prisões, quatro ocorreram em Porto Velho. Em Ouro Preto foram presos quatro policiais militares que atuavam fora de função, dando apoio ao grupo liderado pelo prefeito preso, Alex Testoni.

A maioria dos presos passou o dia prestando depoimento no prédio do MP. Os que foram encaminhados para o presídio, como é o caso do deputado federal eleito Lúcio Mosquini serão ouvidos até o final de semana também na sede do órgão.

Acompanhe o processo da Operação AQUI.

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias

mais lidas