21/11/2014 13:19:38 - Atualizado em 24/11/2014 10:34:28

​Polícia Federal diz que Expedito prestou depoimento na quinta-feira (20), em Ji-Paraná

Delegado Arcelino Damasceno afirmou que Expedito foi ouvido ainda ontem...

Porto Velho, Rondônia: O ex-senador Expedito Júnior (PSDB), uma das 193 pessoas que receberam mandados coercitivos para prestar depoimento na PF sobre a investigação de apura desvios em licitações no governo de Rondônia, já foi ouvido pela autoridade policial.

Depois de não ser encontrado por agentes durante a Operação Platéias, deflagrada ontem, 20, o ex- senador se apresentou ainda na quinta feira, 20, acompanhado por um advogado na Delegacia da PF em Ji-Paraná.

Em nota, Júnior conformou o depoimento daquele município da região central do Estado e, apesar do mandado coercitivo, disse que compareceu "espontaneamente". 

Ainda segundo a nota,do ex-senador, a empresa Rocha participou da concorrência pública mediante pregão eletrônico e, por isso, "concorreu ao certame de forma lícita e igual às demais, sem utilizar meios fraudulentos".

Prosseguindo o ex-senador finaliza a nota: "Embora tenhamos sido convocados para prestar esclarecimentos sobre envolvimento em suposto direcionamento de processo licitatório em favor de uma empresa de segurança da família, comparecemos espontaneamente, sem necessitar de condução coercitiva".

Sobre o assunto a PF diz que a Segurança Rocha, empresa do ex-senador tucano, foi contratada para prestar serviços de segurança armada junto à Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e, em três anos, recebeu cerca de R$ 150 milhões, mas que o contrato não teria sido cumprido corretamente e também há suspeitas de favorecimento no processo de licitação. 

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias