15/12/2014 14:00:42 - Atualizado em 15/12/2014 15:10:31

Sub chefe da Casa Civil é afastado do cargo por ordem judicial

Durante coletiva, Herverton Aguiar, disse que o grupo formado por empresários, políticos e agentes públicos, elaborava projetos para receber verbas públicas por meio de emendas...

Porto Velho, Rondônia: O sub chefe da Casa Civil do governo de Rondônia, Paulo Werton Joaquim dos Santos, foi afastado da função pública por determinação da justiça, a pedido do Ministério Público Estadual, como desdobramento da operação Zagreu, deflagrada nesta segunda-feira (15).

De acordo com a investigação do MP, Paulo, que é irmão do empresário José Joaquim dos Santos, o Zezinho do Maria Fumaça, preso na operação, tem participação no esquema do uso indevido de emendas parlamentares, fraude que resultou na operação.

Além de Paulo outros três agentes públicos, que prestavam serviço na Assembléia Legislativa de Rondônia, também foram afastados por ordem judicial.

Durante coletiva na sede do MP, o procurador geral de justiça, Herverton Aguiar, disse que o grupo, formado por empresários, políticos e agentes públicos, elaborava projetos para receber verbas públicas por meio de emendas, e utilizava os recursos de forma ilegal.

O dinheiro era liberado por deputados estaduais para financiar eventos culturais, mas era utilizado na promoção de eventos particulares, onde os promotores cobravam ingressos, se beneficiando ilegalmente.

O inicio da investigação aconteceu com a realização da Expo Show Rural, evento realizado de 14 a 24 de novembro de 2013 em Porto Velho. De acordo com Aguiar, o projeto original tratava da realização de apresentações culturais de artistas locais, de dança e de rodeio, mas o dinheiro foi usado para contratar artistas nacionais como Eduardo Costa, Luan Santana, Jads e Jadson, Patatí e Patatá, entre outros.

O projeto, no valor de R$ 410 mil, foi elaborado com a participação de agentes públicos, segundo o MPF, mas o valor, depois de liberado, acabou bloqueado pela justiça a pedido do MP ainda durante o evento.

Além das prisões, Homens da Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar, Agente do Grupo de Combate ao Crime Organizado do MP/RO e técnicos do Tribunal de Contas do Estado, cumpriram mandados de busca e apreensão na casa dos quatros presos, na Secretaria de Esporte do Estado e no gabinete dos oito deputado investigados pela operação.

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias