15/12/2014 17:30:47 - Atualizado em 16/12/2014 11:45:18

Foragido, Rodrigo Mota, também conhecido como "Guerreiro", se entregou em Ji-Paraná

Guerreiro é um dos três presos na Operação Zagreu...

Porto Velho - Rondônia -  O advogado do empresário Rodrigo Motta de Jesus, conhecido como "Guerreiro",  apresentou seu cliente na delegacia de Ji-Paraná, por volta de 17h20 desta segunda-feira (15). Guerreiro era considerado foragido da justiça desde as 12h desta segunda.

Desta forma, o mandado contra Guerreiro é o terceiro a ser cumprido na Operação Zagreu, deflagrada pelo Ministério Público de Rondônia, que aponta para uma quadrilha instalada nos Poderes Executivo e Legislativo para o desvio de verbas na realização de supostos eventos públicos. A ação ocorreu na capital  e em algumas cidades do interior do Estado.

Conforme a denúncia, Rodrigo  Guerreiro é empresário de eventos gospel e disse que vai aguardar a Justiça apurar os fatos para dar qualquer posicionamento."Que a justiça seja feita, estou com a consciência limpa e acho que Deus sabe de todas as coisas. Se é pra eu passar por isso está permitido, estou muito tranquilo", ressaltou em contato com a imprensa.

 Questionado do porque de resolver se apresentar em Ji-Paraná, já que é de Rolim de Moura, Rodrigo defendeu-se da acusação de estar foragido. "Eu não estava foragido, estava em viagem e como eu já estava no meio do caminho, decidi me apresentar aqui", esclarece.

De acordo com a Polícia Civil de Ji-Paraná, o advogado apresentou o empresário e o delegado plantonista foi acionado. O mandado de prisão foi certificado e Rodrigo foi encaminhado para o Presídio Central de Ji-Paraná, onde está à disposição da Justiça.

Ainda conforme informações obtidas junto a Polícia Civil daquele município, o  juiz responsável pelo caso e o Ministério Público já foram foram cientificados da apresentação do empresário.

A Operação Zagreu já havia prendido na manhã desta segunda, 15/12, dois dos envolvidos: o empresário José J.dos Santos e seu funcionário, Charles Dias Figueiredo. Faltava Rodrigo Motta de Jesus, conhecido como "Guerreiro", que se apresentou em Ji-Paraná.

Eles são investigados pelo Ministério Público, que constatou a existência de sólida e articulada associação criminosa instalada nos Poderes Executivo e Legislativo, com o propósito de desviar verbas do erário, mediante o direcionamento de emendas parlamentares para entidades do terceiro setor, utilizadas como laranjas, para a realização de supostos eventos festivos públicos. Há indícios da prática de vários crimes, notadamente, falsidade ideológica, peculato, advocacia administrativa, entre outros, contando com a efetiva participação de servidores públicos e empresários.

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias

mais lidas