08/01/2017 00:11:59 - Atualizado em 09/01/2017 09:13:30

Polícia encontra mais dois corpos enterrados em cozinha de presídio

BOA VISTA - RR - O secretário-adjunto de Justiça e Cidadania do Estado, Francisco Carlos, disse que as mortes "provavelmente ocorreram no mesmo evento (o massacre)". Segundo ele, as buscas por mais corpos continuam.

Também no sábado, a Secretaria de Justiça e Cidadania de Roraima divulgou os nomes dos 31 detentos mortos na penitenciária, a maior do Estado.

A maioria dos mortos, segundo a listagem, foi presa por tráfico de drogas (18 detentos) e roubo (12). Há ainda os que foram penalizados por homicídio (7) e estupro (3). Um preso pode cumprir pena por mais de um crime.

Quatro deles dormiam na cozinha do presídio, que está com o número de internos acima da capacidade.

Segundo a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc) de Roraima, havia 1.475 presos na unidade no momento do massacre --a capacidade é para 750 detentos. Do total, mais da metade (898) é de presos provisórios, ou seja, à espera de julgamento. Outros 458 detentos estavam no regime fechado, e cem, no semiaberto.

Ontem, o secretário de Justiça do Estado, Uziel Castro, atribuiu o massacre a uma "ação de política e propaganda" do PCC (Primeiro Comando da Capital). Em entrevista ao UOL, Castro afirmou que os assassinados eram "presos comuns", provisórios e condenados, mas sem ligação com facções criminosas.

Os dois corpos foram encontrados neste sábado após Castro informar que familiares de presos da penitenciária agrícola disseram a policiais que haveria pelo menos mais dois corpos enterrados no complexo.

A dona de casa Simone Conceição, mulher de Jaime de Conceição Pereira, detento de Monte Cristo, buscava informações sobre o preso pela manhã. "Ele não é bicho para ficar enterrado lá", disse ela.



comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias