RONDONOTICIAS quarta-feira, 26 de setembro de 2018 - Criado em 11/10/2001

Deputados ameaçam revogar lei da elevação do lago da Usina Santo Antônio

Usina Santo Antônio não cumpriu com o repasse e R$ 30 milhões para Jaci-Paraná e nem os R$ 51 milhões para os municípios do interior do estado


Jocenir Sérgio Santanna

13/09/2018 08:40:32 - Atualizado

PORTO VELHO: O consócio que administra a Usina Santo Antônio ainda não cumpriu com o compromisso de repasse e R$ 30 milhões para o distrito de Jaci-Paraná e nem os R$ 51 milhões que deveriam ter sido repassados para os municípios do interior do estado, como forma de compensação pela elevação do lago da usina, construída no rio Madeira.

O acordo foi firmado com os deputados estaduais que agora ameaçam revogar a lei em função do não cumprimento por parte do empreendimento.

Os deputados Laerte Gomes (PSDB), Jesuíno Boabaid (PMN) e José Lebrão (MDB) utilizaram a tribuna durante a sessão legislativa desta semana para cobrar da usina o cumprimento da promessa. De acordo com eles, os municípios apostaram na entrada desses recursos como forma de desafogar as contas para fechar o exercício e com o não pagamento, a situação se agravou e muitas administrações municipais já enfrentam dificuldades para pagamento de pessoal e de fornecedores.

Em tom de ameaça, o deputado Adelino Follador (DEM) disse que a irresponsabilidade da Usina Santo Antônio mostra que esses empreendimentos construídos em Porto Velho (usinas do Rio Madeira) não têm nenhum compromisso com o desenvolvimento do estado e nem com cumpre com o que se compromete e prometeu retaliação se os pagamentos não começarem a ser efetuados.

“Aprovamos a elevação da cota confiando que eles cumpririam com a sua parte, mas até o momento ninguém recebeu nada. Dessa forma, não temos alternativa a não ser pedir a revogação da lei. Eu nunca confiei nessas usinas, eles prometem e não fazem nada”, afirmou. Adelino disse ainda que caso a situação com as prefeituras não seja resolvida, esta semana, na reunião ordinária da próxima terça-feira (18) vai pedir a revogação do projeto aprovado pela Casa.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.