RONDONOTICIAS domingo, 22 de setembro de 2019 - Criado em 11/10/2001

Presidente da Assembleia denuncia ataques de servidores do Governo

Na Sessão dessa terça-feira, Laerte Gomes, disse que tem sido vítima de uma verdadeira uma onda de ataques contra ele nas redes sociais


Jaqueline Alencar / Rondonoticias

12/06/2019 09:08:25 - Atualizado

PORTO VELHO RO - O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE), deputado estadual Laerte Gomes (PSDB) usou a palavra na Sessão realizada na tarde dessa terça-feira (11), para desabafar que nesta última semana, tem sido vítima de alguns “cidadãos” que têm promovido uma verdadeira uma onda de ataques contra ele nas redes sociais.

Conforme o presidente, muitas dessas pessoas são servidoras do Governo filiados ao PSL, partido do governador do estado, coronel Marcos Rocha, e algumas já foram identificadas como sendo dos municípios de São Miguel do Guaporé, Ji-Paraná, Rolim de Moura, e Porto Velho.

De acordo com Laerte Gomes, “os ataques têm sido através da divulgação de matérias que segundo ele, já foram até vencidas na Justiça. Mas já repassamos os nomes dessas pessoas ao chefe da Casa Civil para que sejam tomadas as devidas providências”, afirmou.

“Eu não entendo o motivo disso, até porque o que temos feito nesta Casa é contribuir no sentido de ajudar a governabilidade. Espero que o Governo tome uma posição urgente contra essas pessoas que tentam criar factóides atacando o Legislativo. Temos que nos respeitar. Pois se acontecer ao contrário, podem ter certeza que o farei”, disse, complementando que “talvez a preocupação maior dessas pessoas seja o medo de perder a ‘teta’, já que não têm capacidade para mostrar trabalho”.

Os deputados: Marcelo Cruz (PTB), Alex Redano (PRB), Cirone Deiró (Podemos), Chiquinho da Emater (PSB), Jair Montes (PTC), Lazinho da Fetagro (PT) e Adelino Follador (DEM) se solidarizaram com o presidente e confirmaram os ataques contra Laerte Gomes.

“Essas pessoas atrapalham a governabilidade e temos certeza que o governador Marcos Rocha não compactua dessas atitudes”, reforçaram.

CONFIRA O VÍDEO:





Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.