RONDONOTICIAS quarta-feira, 16 de outubro de 2019 - Criado em 11/10/2001

Novas testemunhas do caso Tatiane Spitzner serão ouvidas

Marido da advogada é réu por homicídio qualificado, cárcere privado e fraude processual


Notícias ao Minuto

25/01/2019 14:11:20 - Atualizado


Novas testemunhas da morte da advogada Tatiane Spitzner serão ouvidas nesta sexta-feira (24) pelo Primeiro Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, em Curitiba. As gravações serão gravadas e anexadas ao processo sobre o caso.

A advogada foi encontrada morta no dia 22 de julho do ano passado, no apartamento onde morava com o marido, Luis Felipe Manvailer, de 32 anos, em Guarapuava. Horas depois, o professor universitário de biologia foi preso como principal suspeita do crime. Ele foi detido após se envolver em um acidente de carro em uma estrada nas proximidades de São Miguel do Iguaçu (PR), a cerca de 320 km de Guarapuava.

Em setembro, um laudo do do Instituto Médico-Legal (IML) apontou que Tatiane foi morta por asfixia mecânica.

De acordo com o G1, outras testemunhas do caso já foram ouvidas em dezembro de 2018. Manvailer é réu por homicídio qualificado, cárcere privado e fraude processual. Em audiência de custódia feita logo após a prisão, o professor disse não se lembrava do que havia ocorrido no dia da morte. Ele ainda não foi interrogado pela Polícia.

O crime gerou uma forte repercussão, principalmente após a divulgação de imagens de câmeras de segurança que registraram as agressões do marido no dia da morte da advogada. 

Notícias ao Minuto



Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.