14/07/2015 12:25:14 - Atualizado em 14/07/2015 18:24:36

Vitória na selva. Avante Versalle!, por Ricardo Leite


Rio de Janeiro, 1910. O cais do porto da capital federal está lotado para receber um herói recém-chegado de outro planeta. Osvaldo Cruz desembarca cercado pela multidão, depois de enfrentar o mar, os rios e o coração da brutal selva amazônica em Porto Velho, onde deu esperança médica a uma obra impossível atacada pela malária: a espetacular Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Usando o foguete da imaginação, viajamos para 2015, e num percurso inverso, acompanhamos a banda rondoniense de nome elegante e estilo marcante, sair da capital de Rondônia, e ser aplaudida no mesmo Rio de Janeiro de Cruz, 105 depois.
> Marte foi a música bela e forte que levou a banda Versalle ao terceiro lugar, com valor de primeiro. Durante três meses e nove apresentações na selva musical, o quarteto conseguiu o impossível &mdash chegar na final com quatro competidores. Ninguém venceria a dupla de garotos baianos, reedição de Claudinho e Bochecha, explosão popular do início dos anos 2000. A taça, então, para bandas propriamente ditas, ficou com o Rock.
> Nada mais moderno na ciência hoje que o esforço tecnológico e multinacional de levar o homem ao planeta vermelho. A extraordinária Ferrovia Madeira Mamoré foi a vitória de 52 nações e da tecnologia em favor de um sonho inatingível no começo do século XX em outro mundo chamado Amazônia. Na melodia de Marte, a Versalle firmou o Rock. Na EFMM, nasceu Rondônia.
> Ontem, dia 13, foi o dia internacional do Rock. No dia anterior, o brilho francês do Palácio de Versailles, que empresta o nome a banda, foi reproduzido para milhões de brasileiros pela Globo ao som de Marte. Porto Velho e Rondônia brilharam juntos, como a estrela proeminente da bandeira do Estado, na constelação do Brasil.
> Não podemos esquecer. Dia 1 de agosto, a EFMM completa 103 de inaugurada e a Versalle se apresenta na Talismã. Bela coincidência para exaltar a vitória sobre o impossível. Casa cheia. Vamos lá. Mas é justo e merecido &mdash repetindo a cena do Porto do Rio há 105 anos &mdash que uma multidão receba no aeroporto governador Jorge Teixeira de Oliveira, com flores e a bandeira do Estado, os heróis Criston, Rômulo, Miguel e Igor que foram, tocaram e venceram. Avante EFMM! Avante Rondônia! Avante VERSALLE! 

Ricardo Leite é jornalista e procurador federal

fonte: Rondonoticias

comentar

comments powered by Disqus

Ultimas Notícias