RONDONOTICIAS quinta-feira, 23 de maio de 2019 - Criado em 11/10/2001

Depois de bloquear quase R$ 3 mi do Rovema, Justiça e Sitetuperon se reúnem

Dívidas do Consórcio SIM com trabalhadores tem nova audiência hoje na Justiça do Trabalho da capital


Rondonoticias

13/02/2019 10:37:10 - Atualizado

PORTO VELHO RO - A novela do Transporte Público Coletivo de Porto Velho segue sem previsão de capítulo final. Depois da decisão judicial da 7ª Vara do Trabalho da capital de bloquear R$ 2.668.879,08 da empresa Madeira Seguros que também pertence ao Grupo Rovema por conta de dívidas por conta de dívidas com funcionários do Consórcio do Sistema Integrado Municipal de Transporte de Passageiro (Consórcio SIM), o Sindicato dos Trabalhadores Empregados do Transporte Urbano de Passageiros no Estado de Rondônia (Sitetuperon) volta a se reunir nessa quarta-feira na Justiça do Trabalho. 

O Sindicato alega que o Consórcio SIM descumpriu diversos itens do acordo coletivo 2018/19, o que obrigou a categoria a recorrer seus direitos ao Judiciário. Soma-se ao atraso nos salários, por conseuência, o recolhimento do FGTS, e atrasos na cesta básica e ticket alimentação, além da falta de pagamento do adiantamento salarial de 40%.

Entre outras reivindicações do Sitetuperon à Justiça estão: o reconhecimento da rescisão indireta dos empregados, conforme deliberação aprovada em Assembleia, e a condenação do Consórcio SIM pelo não cumprimento das seguintes obrigações: Baixa na CTPS de todos os empregados observando como último dia de trabalho a data de ajuizamento da presente demanda, devendo ser incluído o aviso prévio indenizado proporcional a cada contrato de trabalho; fornecimento das chaves de conectividade para que os empregados recebam o FGTS E MULTA DE 40%; entrega das guias do seguro desemprego e; pagamento das rescisões no prazo legal de 10 dias a contar do dia de ajuizamento da presente ação (28.01.2019), qual seja 7 de fevereiro de 2019, sob pena de multa diária a ser aplicada pela Justiça do Trabalho, incluindo aviso prévio indenizado, saldo de salário de janeiro de 2019 (28 dias), férias proporcionais e integrais relativas a cada contrato, 2/12 de 13 salário, visa-vale de janeiro de 2019 correspondente a cada função os valores constantes no acordo coletivo.

O assunto começou a ser debatido na Audiência marcada para as 10h20 da manhã de hoje. 


*em atualização


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.