RONDONOTICIAS domingo, 25 de agosto de 2019 - Criado em 11/10/2001

“Não vejo nada de bom na Reforma da Previdência”, diz Hermínio Coelho

No programa, ex-deputado taxou atual gestão municipal como “desastrosa”, e disse que o governador “não tem nenhuma atitude em sentido algum”


Jaqueline Alencar / Rondonoticias

15/07/2019 14:19:05 - Atualizado

PORTO VELHO RO - O Programa a Voz do Povo, apresentado pelo jornalista e advogado Arimar de Souza Sá ao vivo de segunda-feira à sexta-feira do meio-dia às 13 horas na capital em pela Rádio Caiari 103,1 e pela Antena FM em Rede Estadual, recebeu nessa última sexta-feira (12), o ex-deputado estadual e ex-vereador de Porto Velho: José Hermínio Coelho (Hermínio Coelho).

Hermínio iniciou falando sobre o comprometimento eleitor após as eleições. Na opinião dele, depois de votar, é importante que haja cobranças dos eleitos no sentido de cumprirem com o que prometeram durante as campanhas eleitorais. “A maioria apenas vota, depois não participa”, disse.

Para Hermínio, o que chamou de “desmobilização da população neste sentido”, faz com que os que nos representam se acomodem, “e quando se mobilizam não sabem nem porque”, completou, citando como exemplo, os debates em torno da Reforma da Previdência que se baseiam apenas no “tom” dado pela grande mídia.

Na opinião do entrevistado, a Reforma é cruel, especialmente com a classe mais pobre. “Aliás, não vejo nada de bom na Reforma. Qual é o privilegiado que perdeu com este Reforma?”, questionou, respondendo em seguida: “não tem!”, citando como exemplo, o aumento no tempo de serviços prestados como um desrespeito ao trabalhador.

Cenário político de RO

Ao falar sobre a política de Rondônia, o ex-deputado disse que o que mais preocupa no atual cenário é que “não acontece nada”, e caracterizou a administração do prefeito Hildon Chaves (PSDB) como “desastrosa”, principalmente na educação, que tem deixado centenas de alunos da área rural e das regiões ribeirinhas sem aulas.

Com relação ao Governo do Estado, afirmou que não viu nada de concreto ainda na gestão do governador Marcos Rocha (PSL). “Infelizmente até agora não vi qual é a do estado. Não vi nenhuma ação especialmente do que foi prometido em campanha. O Governo parece que está aí há 10 anos, não tem nenhuma atitude em sentido algum”, complementou taxativamente acrescentando, que só o apoiou por falta de opção.

Denúncias

Confessando que suas duras críticas e denúncias o tem levado constantemente aos tribunais a exemplo do caso do acordo de pagar R$ 150 milhões de precatórios ao qual criticou a atitude como criminosa; e o caso Beron, que envolveu o ex-senador Expedito Júnior, atual presidente do PSDB de Rondônia em que segundo a denúncia feita por Hermínio baseada na CPI que teve na Assembleia Legislativa, levou vantagens em mais de R$ 400 mil dólares em um empréstimo que nunca quitou, o ex-deputado lamentou: “não sei mais para que serve um parlamentar. Não podemos mais denunciar ninguém que somos processados”.

Entretanto, de todas as denúncias que sempre fez como parlamentar, Hermínio assegurou no programa que todas foram comprovadas. Entre elas, citou as de horas/máquinas e limpezas de canteiros centrais na gestão Roberto Sobrinho; a primeira feita contra o ex-governador e atual senador Confúcio Moura (MDB) contra os famosos Consignados que denunciou um esquema de corrupção envolvendo ex-governador e familiares e resultou inclusive em Operação policial; obras do Espaço Alternativo que também resultou prisões; e a do superfaturamento nas obras da ponte sobre o Rio Machado e o anel viário de Ji-Paraná que ainda tramita na Justiça, e segundo Hermínio teve mais de 30 milhões desviados.

Confúcio Moura

Questionado se já selou as pazes com Confúcio Moura, depois de ter saído do Parlamento, Hermínio foi categórico: “não selei nada e nem vou! Não sou desses que não se dá bem hoje, e amanhã está abraçado”, disse, acrescentando que não dirige a palavra também ao ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho (PT).

Na Voz do Povo, o ex-deputado também falou sobre as ações dele enquanto deputado estadual, fatores que o levaram a não reeleição, sobre o atual parlamento estadual, pré-candidatura à Prefeitura, e outros assuntos de interesse dos ouvintes.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.