RONDONOTICIAS segunda-feira, 16 de setembro de 2019 - Criado em 11/10/2001

Ministra aponta avanço no desenvolvimento sustentável de RO

‘‘O que nós queremos é destravar a economia e trazer soluções’’, disse a ministra


Secom

20/08/2019 10:16:38 - Atualizado

PORTO VELHO RO - O contrato de concessão do manejo da Floresta Nacional do Jamari foi assinado nessa segunda-feira (19) com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, no Palácio Rio Madeira, após sobrevoo a flona feito na companhia do governador Marcos Rocha e permite ao estado fortalecer a economia e o desenvolvimento sustentável. ‘‘O que nós queremos é destravar a economia e trazer soluções’’, disse a ministra.

Para o governador, a iniciativa demonstra como é possível manter a responsabilidade pela preservação ambiental e ao mesmo tempo dar condições para que a população possa viver de forma digna através do aproveitamento dos recursos naturais com a geração de emprego e renda.

‘‘É um avanço extremamente importante para nosso Estado. Nós que vivemos para o agronegócio. A gente precisa entender que o homem precisa mais que sobreviver, mas viver, e para isso é preciso ocupar os espaços de forma sustentável. Com esse contrato nós teremos  utilização legal da floresta, gerando riquezas. Não é admissível um estado lindo como esse ainda ter gente passando fome quando temos recursos necessários para valorizar o homem em conjunto com a preservação da natureza’, disse Marcos Rocha.

Ele ainda apontou que o desenvolvimento sustentável está sendo trabalhado de forma firme no Estado, a exemplo da Reserva Extrativista Rio Preto Jacundá, localizada nos municípios de Machadinho D’Oeste e Cujubim, onde funciona o primeiro projeto de crédito de carbono em unidade de conservação do Brasil. ‘‘Estamos trabalhando de forma integrada em Rondônia, com importantes parcerias e com apoio do governo federal fica melhor ainda’’, assegura o governador.

A ministra disse ainda que o governo quer seguir o caminho da sustentabilidade. ”Esse é o modelo de parceira público-privada que vai dá certo, onde a gente coloca as florestas nessas concessões para que a exploração aconteça de forma legal. Seis árvores por hectare é o máximo que pode ser retirado. Vamos mostrar que o Brasil, além de ser uma potência agrícola, também é uma potência ambiental e grande parte dela está na região Norte, mas a convivência tem que ser entre a natureza e o homem. Não existe preservação, se há miséria”, considera Tereza Cristina.

Ela ainda anunciou recursos gerado através de concessão florestal para serem investidos na área social. ”Faz parte do contrato a parte social. Tenho a satisfação de entregar para o governo de Rondônia repasse de R$ 2 milhões para atender a população mais carente do Estado”, disse a ministra informando ainda que haverá repasses para os municípios de Porto Velho, Itapuã do Oeste; Cujubim e Candeias do Jamari.

CONCESSÃO

O contrato assinado entre o diretor-geral  do Serviço Florestal, Valdir Colatto, e a empresa rondoniense Madeflona, vencedora do processo de concorrência, é a primeira concessão florestal do atual governo e tem duração de 40 anos.
Conforme contrato, a área licitada diz respeito a unidade de manejo florestal IV e corresponde a 32.294 hectares. A Floresta Nacional do Jamari está localizada entre os municípios de Cujubim, Porto Velho, Ariquemes e Itapuã do Oeste, e foi criada em 25 de setembro de 1984. Possui uma área total, segundo o Serviço Brasileiro Florestal, de 220 mil hectares.
Segundo o representante da Madeflona, Jonas Perutti, o trabalho de manejo florestal além de gerar emprego e renda, também é um grande aliado da preservação ambiental. O mesmo corrobora a ministra-conselheira e chefe de Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável da Embaixada na Alemanha no Brasil, Annette Windmeisser.
 ” Estou impressionada com a beleza e riqueza do Estado. Só florestas com pessoas fazem sentido e é por isso que o governo da Alemanha apoia os esforços de promover emprego e gerar renda através do manejo de florestas”, assegura.

Ao todo, o Serviço Brasileiro Florestal tem mais de um milhão de hectares sob regime de concessão florestal para manejo sustentável. A meta é chegar a 4 milhões de hectares com a geração de cerca de 25 mil empregos diretos e indiretos.
Também participaram da cerimônia de assinatura do contrato a da primeira dama e secretária da Assistência e Desenvolvimento Social (Seas), Luana Rocha, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Laerte Gomes, o secretário chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, secretário de Estado de Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, os deputados federais Lúcio Mosquini, Mariana Carvalho e cel. Chrisóstomo; o senador Marcos Rogério; e os deputados estaduais Eyder Brasil, Adelino Follador, Jhony Paixão e Chiquinho da Emater.


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.