• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 24 de fevereiro de 2024

Deolane Bezerra e centenas de influenciadores são investigados por lavagem de dinheiro no jogo do tigre

De influenciadores a funkeiros, polícia está de olho em supostos crimes financeiros cometidos por diversos famosos da internet


emoff

Publicada em: 04/12/2023 15:50:16 - Atualizado

Não é só o “jogo do Tigre” que está na mira da polícia. A Polícia Civil do Estado de São Paulo instaurou um inquérito para investigar o envolvimento de diversos influenciadores digitais nos crimes de associação criminosa, lavagem de dinheiro e delitos contra o sistema financeiro. Entre os famosos investigados, estão a advogada Deolane Bezerra, sua irmã, Dayanne Bezerra, o funkeiro MC Gebê e a influenciadora Débora Paixão, entre vários outros.

A coluna Erlan Bastos EM OFF teve acesso com exclusividade ao documento apresentado pela equipe da 3ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes Financeiras e Econômicas do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

De acordo com os policiais, os influenciadores utilizam seus perfis nas redes sociais, como Instagram e Facebook, para divulgar os chamados “sinais”, links que indicam ao apostador em qual banca virtual e momento exato fazer a aposta, prometendo retorno financeiro elevado aos seguidores. Segundo a denúncia, os influencers publicam links que redirecionam a sites especializados em jogos de azar sem se responsabilizar pelos pagamentos dessas plataformas, mas lucrando e ganhando uma porcentagem em cima disso.

A Polícia Civil constatou que nomes famosos fazem parte do esquema. A advogada e ex-peoa de “A Fazenda”, Deolane Bezerra, sua irmã Dayanne, a influenciadora Débora Paixão, o funkeiro MC Gebê, a tiktoker Alannis Proença, o influencer Emerson Preto e a influenciadora Alyne Lary, entre outros, são citados como supostos envolvidos.

“Oportunistas com anseio de ganhar dinheiro ilegalmente se utilizam das redes sociais digitais como Instagram e Facebook (…) para realizarem sem autorização, jogos de azar, o que demonstra claramente o meio de contravenção penal digital ‘jogo do bicho por meio digital'”, aponta o relatório policial.

Detalhes do crime

A Polícia Civil de São Paulo detalhou como o crime é realizado. Segundo o relatório, o esquema é iniciado com anúncios e postagens que indicam ao comprador do serviço/produto em qual banca virtual e o momento exato para fazer a aposta. Esses sinais são disponibilizados através de links postados nos stories ou mesmo no feed de cada perfil. Assim, o internauta acaba fazendo depósitos na intenção de obter retorno financeiro.

Segundo os policiais, quem estimula jogos de azar também comete contravenção penal e está sujeito às penalidades de multa até prisão. No Brasil, jogos de azar são considerados ilegais. De acordo com Rochelle Pastana Ribeiro Pasiani, coordenadora-geral de Inteligência Financeira do COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), tudo isso faz parte de um imenso processo de lavagem de dinheiro.

“Diversos CNPJs estão sendo criados por empresas financeiras que fazem a intermediação de pagamentos, com características de empresas supostamente de fachadas, as quais recebem milhares de transferências digitais de fraudadores, entre eles jogadores/apostadores que investem em sites hospedados no exterior”, disse.

“Ao receberem em suas contas correntes em bancos digitais ou comerciais, elas transferem para instituições de cambio e esses bancos de cambio encaminham para empresas parceiras no exterior que também, muitas vezes, são empresas de fachada fora do país. Esse dinheiro convertido volta para o Brasil para os donos das contas de uma forma ‘lavada'”.

Bloqueio de perfis

Diante da situação, a Polícia Civil de São Paulo solicitou à Justiça que diversos influenciadores tenham seus perfis nas redes sociais bloqueados. Estão na lista os influencers Bruno Alexssander (dono de várias contas, como @obuzeira, @buzeiramilionario, @reseva_buzeira, @mingalzeira e @hillaryreserva_, vinculado à sua esposa), Rudny Damasceno (@rudnyalan_) e Kabrinha (@brinha011).

Outros nomes investigados na ação, além de Deolane Bezerra e Dayanne Bezerra, são: Nathália Coelho (@nathaliacoelhor), Débora Paixão (@deborapaixaooficial e @depaiixao), Chrys Dias, marido de Débora ( @ochrysdias), MC Gebê (@mcgebe), o influencer Guizeira (@guizeiraofc e @guizeirapessoal), Nikolas Lobo (@nikolas_lobo), Gessica Lay (@gessicalaayaoficial e @gessicalayc), Alannis Proença (@alannisproenca), entre outros. Todos são acusados de explorar jogos de azar.


Fale conosco