• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, segunda-feira 20 de maio de 2024

PC prende piloto de avião que invadiu espaço aéreo e quase foi derrubado por caças da FAB

O avião bimotor levantou suspeitas ao ser detectado nas proximidades do espaço aéreo de Rondônia. A FAB enviou dois caças A-29 Super Tucano para interceptar a aeronave


Redação

Publicada em: 11/04/2024 16:59:27 - Atualizado

Foto: Rondoniagora

ESPIGÃO DO OESTE, RO: Uma operação conjunta envolvendo equipes da Polícia Civil de Espigão do Oeste e Pimenta Bueno, com apoio da Polícia Militar, resultou na prisão do piloto de uma aeronave que invadiu o espaço aéreo brasileiro vindo da Bolívia e escapou por pouco de ser interceptada por caças da FAB (Força Aérea Brasileira) nesta quarta-feira. O piloto foi capturado enquanto tentava fugir em um mototáxi.

Segundo informações da Polícia Civil, a aeronave suspeita, que acabou incendiada por criminosos, foi apreendida devido às suspeitas de estar envolvida em atividades ilegais, possivelmente relacionadas ao tráfico de drogas.

O avião bimotor levantou suspeitas ao ser detectado nas proximidades do espaço aéreo de Rondônia. A FAB enviou dois caças A-29 Super Tucano para interceptar a aeronave. No entanto, o piloto do avião suspeito ignorou as ordens para mudar de rota e pousar em Cacoal (RO), o que resultou em um tiro de advertência.

Posteriormente, a aeronave realizou um pouso forçado em uma área remota próxima a Rondolândia (MT), onde foi incendiada pelos criminosos que estavam a bordo.

A rápida ação da polícia permitiu a identificação e detenção do piloto da aeronave. Em uma operação coordenada entre a Polícia Civil de Espigão do Oeste e Pimenta Bueno, com o apoio da PM, o suspeito foi interceptado enquanto tentava escapar usando um mototáxi. Ele confessou sua participação no incidente e indicou a presença de um segundo suspeito, que ainda está foragido.

O piloto detido foi entregue à Polícia Federal e encaminhado para Ji-Paraná para os procedimentos legais. A aeronave incendiada será periciada para coleta de evidências.

Veja o vídeo:



Fale conosco