RONDONOTICIAS domingo, 22 de setembro de 2019 - Criado em 11/10/2001

“Se eu tivesse medo do Detran, ficaria em casa”, afirma Laerte Gomes

“O que queremos de concreto, é que o Governo diminua os valores das taxas. Disso, a Assembleia não vai abrir mão”, garante presidente da Legislativo


Jaqueline Alencar / Rondonoticias

25/03/2019 17:50:10 - Atualizado

PORTO VELHO RO – Em resposta à pergunta de uma ouvinte do Programa A Voz do Povo, apresentado pelo jornalista Arimar Souza de Sá na Rádio Caiari FM 103,1 que vai ao ar de segunda à sexta-feira das 12 às 13 horas, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado estadual Laerte Gomes (PDT) afirmou que não tem medo do Detran, e completou: “Se eu tivesse, não teria se candidatado para ser reeleito. Ficaria em casa”.

Durante a entrevista, ao falar sobre a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar o órgão, Laerte Gomes afirmou também que tem recebido cobranças de abusos praticados pelo Detran contra os contribuintes em todo o estado e revelou que um prévio levantamento que está sendo adiantado por sua equipe aponta que o orçamento do Detran é maior que da Prefeitura de Ji-Paraná.

Taxas exorbitantes

“No ano passado, o Detran teve um superavit de R$ 50 milhões e tem um orçamento de mais de R$ 250 milhões/ano. As taxas do Detran do estado, são alarmantes em se comparando à outros estados como por exemplo, algumas que custam R$ 350 em Rondônia e no Amazonas R$ 70 para o mesmo serviço. É simplesmente um absurdo. As taxas do Detran de Rondônia são três, até quatro vezes maiores que a maioria dos estados da Região Norte”, explanou, reforçando: “nenhum órgão público pode visar cobrança de taxas para enriquecimento e sim para lucro social. Mas em Rondônia, o abuso é muito grande”.

Na emissora, o presidente da Assembleia disse também que irá requerer ao órgão que apresente toda documentação financeira referente aos últimos cinco anos com todos os gastos como: valores de tarifas, contratos, taxas, e concessões que incluem a inspeção veicular, “único produto que eu conheço no Brasil que não tem validade porque você vai lá agora, bate uma foto do seu veículo paga R$ 100 ou R$ 120 e, amanhã você negocia o carro e tem de fazer outra foto e pagar novamente as mesmas taxas. Mais um dos abusos contra o cidadão rondoniense”, exemplificou demonstrando indignação.

Farra de diárias

Também de acordo com Laerte Gomes, há informações de que só no ano passado, foram gastos no Detran quase R$ 4 milhões em diárias, “dos jetons, onde diretores recebem salários e quando fazem reuniões, cada um recebe mais R$ 3.500 a 4.000 em diárias só para participar da reunião mesmo sendo servidor do Detran”, revelou, reassegurando: “vamos buscar todas as informações para avaliarmos a criação ou não de uma CPI. O que queremos de concreto até agora, é que o Governo do Estado diminua os valores das taxas do Detran. Disso, a Assembleia Legislativa não vai abrir mão”.

CPI/ QUEDA DE UM DIRIGENTE DE UMA EMPRESA DE COMUNICAÇÃO:

Depois de anunciada a possível CPI no Detran, corre boato nos bastidores políticos de que um dirigente de uma Empresa de Comunicação foi demitido do cargo por suposta ligação com o órgão. Fala-se, também, que a suspeita de Laerte Gomes sobre o Órgão mentor da política de trânsito do Estado, acendeu a luz de perigo tanto na Polícia Federal, quanto no Ministério Público e que procedimentos estão sendo abertos para apurar a veracidade do que levanta o presidente da ALE.

ENCONTRO COM CHEFE DO CLÃ

Na semana passada o presidente da ALE foi procurado pelo chefe do clã de um conglomerado de comunicação para tratar sobre a questão.

CONFIRA A ENTREVISTA COM O PRESIDENTE:

SAIBA MAIS: Laerte Gomes admite distanciamento entre Governo e Assembleia


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.