• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, segunda-feira 20 de maio de 2024

Dos 9 assassinatos por conflitos de terras ocorridos no país, 5 foram em Rondônia

Todas as vítimas foram identificadas como ‘sem terras’. Em relação aos conflitos de campo, Rondônia é o quarto estado do país com mais registros.


Redação

Publicada em: 22/04/2024 14:37:57 - Atualizado

Foto: G1

PORTO VELHO, RO: Rondônia liderou em 2023 o número de assassinatos relacionados a conflitos de terras, de acordo com um relatório divulgado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) nesta segunda-feira (22). Todas as vítimas eram identificadas como trabalhadores rurais sem terra. Dos nove assassinatos envolvendo essa categoria em todo o país, cinco ocorreram em Rondônia.

As vítimas tinham idades variadas, com o mais jovem tendo 24 anos e o mais velho 54 anos. No entanto, a maioria delas residia em acampamentos, sendo três no acampamento Tiago dos Santos, localizado na região de Nova Mutum, distrito de Porto Velho, uma área conhecida por ser um dos principais focos de conflito agrário no estado.

Rondônia mantém há pelo menos três anos a posição de líder no número de mortes relacionadas ao campo, apesar da diminuição dos crimes recentemente. Em termos nacionais, o total de assassinatos foi o menor desde 2020, com 31 casos registrados em 2023, comparado a 21 em 2020.

O estado contribuiu com 16% de todas as mortes por conflitos no campo em todo o país. Além disso, o Brasil registrou um recorde de 2.203 casos de conflitos de terra no último ano. Rondônia está em quarto lugar no país em termos de registros, afetando mais de 9,5 mil famílias.


Fale conosco