• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 20 de julho de 2024

Motoristas ignoram faixa de pedestres em Porto Velho e causam acidentes na Capital

A impunidade e a falta de fiscalização da SEMTRAN e DETRAN são apontadas como causas principais desse comportamento perigoso...


Redação Rondonoticias

Publicada em: 22/06/2024 09:30:02 - Atualizado

PORTO VELHO-RO: A falta de respeito dos motoristas às faixas de pedestres é uma preocupação crescente em Porto Velho. Apesar da exigência das leis de trânsito, muitos condutores não param para pedestres, colocando vidas em risco diariamente pelas ruas da cidade.

"É arriscado atravessar, mesmo na faixa. Os carros não param", reclama Maria Souza, residente no bairro São João Bosco em Porto Velho. Em avenidas movimentadas como Jorge Teixeira, Calama e Sete de Setembro, a situação é crítica. Motoristas parecem ignorar completamente as faixas, obrigando os pedestres a esperar longos períodos para atravessar ou a arriscar suas vidas no meio do trânsito intenso.

Só para se ter uma ideia do descalabro no trânsito da capital, quando o motorista que trafega pela direita para na faixa, o condutor que vem pela esquerda passa com velocidade e isso vem resultando em sérios atropelamentos, como é o caso do acidente que aconteceu no ano passado defronte a empresa Ameron, situada na avenida Calama. 

Na ocasião, um paciente que acabara de receber alta no hospital, atravessava a faixa de pedestre em cadeira de rodas, quando foi atropelado  e teve de retornar para o leito  da unidade de saúde privada.

A impunidade e a falta de fiscalização da SEMTRAN e DETRAN são apontadas como causas principais desse comportamento perigoso. "Sem penalidades, os motoristas não se sentem obrigados a parar", explica Carlos Oliveira, especialista em trânsito, ouvido pela reportagem do Rondonoticias. A ausência de campanhas educativas contínuas e de presença policial efetiva contribui para a perpetuação desse problema.

A Prefeitura de Porto Velho e o Departamento Estadual de Trânsito de Rondônia (DETRAN-RO) são pressionados pelos meios de comunicação a intensificar a fiscalização e promover mais campanhas educativas. "Precisamos de ações mais contundentes. A segurança dos pedestres deve ser prioridade", afirma Júlia Marques, ativista de direitos civis. Algumas medidas, como a instalação de faixas elevadas e sinalizações luminosas, já foram adotadas, mas ainda são insuficientes para cobrir todas as áreas críticas da cidade.

Enquanto aguardam por ações efetivas das autoridades, os pedestres, sobretudo os idosos e deficientes físicos, enfrentam o desafio diário de atravessar as ruas sem  segurança, mesmo na faixa de pedestre "Esperamos que os motoristas comecem a respeitar as faixas. Nossas vidas estão em jogo", conclui Maria Souza. A população também apela por uma mudança cultural que valorize a segurança de todos no trânsito, desde motoristas, ciclistas e pedestres.

A necessidade de uma abordagem mais rigorosa e de políticas públicas eficazes é urgente. A segurança no trânsito é uma responsabilidade compartilhada e requer o compromisso de todos, desde os motoristas até as autoridades responsáveis pela fiscalização e educação no trânsito.

Enquanto isso não vem, os atropelamentos se sucedem, lotam hospitais e alguns entram na fria estatística da polícia como óbito.


Fale conosco