• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 15 de junho de 2024

Vereadores do PT e PDT são acusados de desviar doações às vítimas de enchente no RS

Operação do Ministério Público apura desvio de doações às vítimas das enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul


EMOFF

Publicada em: 10/06/2024 14:37:08 - Atualizado


BRASIL: O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e a Polícia Civil do Rio Grande do Sul deflagraram na última semana a Operação Desvio que está investigando o desvio de doações feitas ao estado destinadas às pessoas atingidas pelas enchentes. Entre os materiais apreendidos estão produtos doados por entidades de outras unidades da Federação e que estavam em posse dos investigados.

De acordo com a investigação três vereadores e um secretário municipal de Palmares do Sul, na região norte do estado, são suspeitos de desviar doações que deveriam ser destinadas às vítimas da tragédia ambiental que afetou mais de 2,3 milhões de pessoas em 476 das 497 cidades gaúchas a partir do fim de abril. No sábado (08), foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão na área central de Palmares do Sul e também no Balneário de Quintão, que pertence ao município.

A Agência Brasil confirmou com o presidente da Câmara Municipal de Palmares do Sul, Sérgio Gil (PDT), que os vereadores Filipe Lang (PT), além do secretário municipal de Administração, Rodrigo Machado Martins, estão entre os investigados da Operação. Filipe Lang é pré-candidato a prefeito de Palmares do Sul e o vereador Polon de Oliveira é pré-candidato na mesma chapa.

O MP-RS garante que mesmo com as investigações ainda no início, as denúncias de apropriação indébita, peculato e associação criminosa “já estão sendo apuradas e comprovadas”. Em nota do Ministério Público afirma, sem citar nomes, que as investigações “apontam que os investigados se aproveitaram dos cargos que ocupam para desviar donativos e oferecê-los em troca de [futuros] votos em ao menos um dos três suspeitos”.

O promotor Mauro Rockenbach afirmou que a investigação identificou que donativos que chegavam ao município não passavam oficialmente pela prefeitura e chegaram a ser destinados a pessoas que não foram atingidas pelas enchentes. “Tudo indica que foi uma doação para um pré-candidato [que concorrerá à prefeitura] no próximo pleito municipal [deste ano]. E já temos provas de que parte destes donativos foi encaminhada para famílias não flageladas, conforme planilhas apreendidas”.

O presidente da Câmara de Palmares do Sul, Sérgio Gil, informou que os investigados têm afirmado, em suas redes sociais, que estão sendo alvo de ataques por conta do ano eleitoral e que a Câmara deverá analisar os fatos por meio dos trâmites legais. “Provavelmente, algum pedido de cassação de mandato vai ser apresentado. Algum partido vai representar contra eles até porque eles são pré-candidatos, mas nada disso é objeto de ação imediata, há um trâmite legal, demorado”.

O vereador Filipe Lang publicou um vídeo em suas redes sociais negando que tenha sido encontrado algo que remeta a irregularidades na distribuição de doações durante busca e apreensão contra ele. “Não acharam absolutamente nada vinculado a irregularidades na distribuição de cestas de alimentos. A gente lamenta essas acusações falsas. Tenho a esperança e certeza que dias melhores virão. Quero dizer aos meus adversários políticos que uma eleição deve ser um debate de ideias e desenvolvimento para o nosso município e não essa guerra desleal que estão fazendo comigo”, afirmou o vereador.


Fale conosco