• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sexta-feira 12 de julho de 2024

“Se for vítima de estupro, pode doar o filho”, diz deputada federal Cristiane Lopes

Cristiane vem fazendo uma verdadeira “Via Crúcis” na tentativa aprovar o projeto, afirmando em declarações...


Rondonoticias

Publicada em: 21/06/2024 08:30:08 - Atualizado

PORTO VELHO-RO: Coautora do chamado “PL do Estupro”, que vem tramitando na Câmara Federal e causando um enorme alvoroço em todo o país, divergindo opiniões e sendo motivo de protestos, a deputada Cristiane Lopes (UNIÃO/RO) segue fazendo campanha para o projeto, que equipara o aborto após 22 semanas de gravidez ao crime de homicídio.

O apelido dado ao Projeto de Lei 1904/24 foi por conta de que uma mulher estuprada que engravidar em decorrência desse ato, poderá ter uma condenação criminal maior que o estuprador caso venha a abortar após a 22º semana de gestação.

Cristiane vem fazendo uma verdadeira “Via Crúcis” na tentativa aprovar o projeto, afirmando em declarações públicas que se uma mulher estuprada não quiser prosseguir com a gravidez após 22 semanas, ela dever gerar a criança e entrega-la ao estado para uma casa de adoção.

“A mulher que aborta após a 22 semanas, pelo tamanho do bebe, está cometendo um homicídio, para que enfiar uma injeção no coração do bebe? Doa ele”, disse Cristiane Lopes.

Em uma entrevista concedida à uma rede de TV e veiculada nas suas redes sociais, Cristiane Lopes se contradiz ao afirmar que o “PL do Estupro” não irá tirar direitos das mulheres em caso de estupro, mas garante que aborto após 22 semanas é crime.

“Se ela for vítima de estupro pode doar o filho. A PL trata que a partir das 22 semanas o aborto se torna um crime, por que já estaria se tratando de tirar uma vida, um ser que independente da situação não tem culpa do que aconteceu”, relatou Cristiane Lopes.

Tramitando em regime de urgência na Câmara Federal, o “PL do Estupro” vem perdendo força e deve desacelerar seu andamento no Congresso Nacional após a péssima repercussão do tema dentro da sociedade brasileira.

Até entre os deputados que assinaram o projeto está havendo desistência, mas, Cristiane segue firma em defesa do PL 1904/24 e pode passar vergonha caso tanto esforço acabe não dando em nada.


Fale conosco