• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quarta-feira 6 de julho de 2022

Motoristas de Uruguaiana atravessam a fronteira com a Argentina em busca de gasolina mais barata

No município brasileiro, combustível custa R$ 7,27, enquanto em postos argentinos gasolina é vendida a R$ 3,58 a brasileiros.


G1

Publicada em: 22/06/2022 13:46:04 - Atualizado


BRASIL - O aumento da gasolina no Brasil anunciado pela Petrobras e em vigor desde sábado (18) fez com que motoristas de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, buscassem o combustível em postos da Argentina. Nesta quarta (22), houve filas em alguns estabelecimentos.

O preço da gasolina comum em postos de Uruguaiana é de R$ 7,27, enquanto a gasolina aditivada custa R$ 7,39. Em três revendas de Paso de los Libres, no país vizinho, o combustível é vendido a brasileiros por cerca de R$ 3,58.

O proprietário de um posto argentino diz que, desde sábado, houve um aumento da procura de motoristas brasileiros para abastecer seus carros no país vizinho.


Cuidados

Especialistas alertam para dois cuidados que os motoristas brasileiros devem tomar ao abastecer na Argentina: com a composição do combustível do país vizinho e com as regras para cruzar a fronteira.

O professor de engenharia mecânica da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) Gustavo Santiago explica que abastecer um carro flex na Argentina pode causar problemas a longo prazo. Isso porque a gasolina vendida no Brasil tem 27% de álcool em sua composição. Já o combustível argentino tem apenas 10% de álcool.

Para evitar problemas, o engenheiro mecânico recomenda que o motorista abasteça com alguns litros de etanol puro para compensar a porcentagem de álcool dentro do tanque.

Além disso, para entrar em Paso de los Libres por via terrestre, pela Ponte Internacional, os motoristas brasileiros precisam apresentar carteira de identidade ou passaporte, comprovante de residência de Uruguaiana e carta verde (um seguro obrigatório para circular de carro no Mercosul).

Quem não mora na cidade deve apresentar identidade ou passaporte, carta verde, seguro Covid e declaração jurada. Os documentos precisam estar impressos.

Conforme a Receita Federal, não é permitido que pessoa física, na condição de viajante, traga combustível da Argentina em forma de mercadoria para venda no Brasil.