• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quarta-feira 6 de julho de 2022

Justiça decreta prisão preventiva de Demétrius, advogado que espancou procuradora em SP

Pedido foi apresentado pelo delegado Daniel Vaz Rocha, do 1º DP de Registro, nesta quarta-feira (22).


g1

Publicada em: 22/06/2022 18:11:19 - Atualizado

BRASIL: A Justiça decretou a prisão preventiva do procurador Demétrius Oliveira de Macedo, que agrediu a procuradora-geral da Prefeitura de Registro, Gabriela Samadello Monteiro de Barros. O pedido foi apresentado na tarde desta quarta-feira (22), na 1ª Vara Criminal da cidade, pelo delegado Daniel Vaz Rocha, que está responsável pelo caso.

No pedido, o delegado apontou que o acusado “vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas, e consequentemente, a ordem pública".

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a investigação instaurada para apurar o caso reuniu fotos e vídeos da agressão, além de depoimento da procuradora-geral para fundamentar o pedido de prisão preventiva. A procuradora agredida deu entrevista contando o que aconteceu: 'Acho que ele é capaz de qualquer coisa', disse ela em um dos trechos.

O governador Rodrigo Garcia (PSDB), que visitou Peruíbe e São Vicente, na manhã desta quarta-feira (22) comentou o caso. “A agressão do procurador de Registro a uma colega não ficará impune. A Polícia Civil acaba de pedir a prisão do agressor Demétrius Macedo. Que a Justiça faça a sua parte e puna todo e qualquer covarde que agrida uma mulher”.

Macedo foi liberado logo após a elaboração do Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia.

Nota de repúdio

A Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM) divulgou uma nota para expressar sua solidariedade com a procuradora Gabriela Samadello Monteiro de Barros e se posicionar sobre a agressão.

"A ANPM repudia a conduta violenta perpetrada pelo servidor identificado como Demétrius Oliveira de Macedo que, conforme noticiado, tinha sua atuação funcional avaliada através de um procedimento disciplinar a cargo da vítima", complementou a associação.