• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 25 de maio de 2024

Feira de adoção de cães e gatos acontece nesse sábado (11) em Porto Velho

Os interessados por algum animal, deve assinar um termo de adoção e poderá encaminhar o pet a um hospital veterinário para castração de forma gratuita.


G1RO

Publicada em: 10/12/2021 10:03:32 - Atualizado

PORTO VELHO-RO: Acontece nesse sábado (11), uma feira de adoção de cães e gatos que foram abandonados em ruas de Porto Velho. A ação será realizada das 16h às 19h, no Parque Jardim das Mangueiras, também conhecido como Skate Park, na zona Leste da cidade.

O morador que se interessar em adotar um pet, terá que assinar um termo de adoção e poderá encaminhar o animal a um hospital veterinário contratado, que fará o procedimento de castração e implantação de microchip de forma gratuita.

Os animais que estarão disponíveis para adoção são cães e gatos de pequeno, médio e grande porte, que estão sob a tutela de 36 abrigos de animais, além de Organizações não Governamentais (ONGs).

Conforme a prefeitura, as instituições são catalogadas na Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) e contam com o auxílio no fornecimento de rações e serviço de castração.

Benefícios para quem adota

O g1 conversou com a psicóloga Luana Passos para entender os benefícios de adotar um cachorro ou um gatinho, em tempos de pandemia. A especialista apontou dois grandes aspectos positivos.

"Primeiro é a companhia, pois a maioria das pessoas acaba criando o hábito de falar com seu pet, diminuindo a sensação de solidão para quem mora sozinho ou dando a sensação de que o pet é mais um membro da família", explicou.

E o segundo aspecto, segundo a psicóloga, é a ocupação, pois ficar em casa pode gerar tédio e sensação de inutilidade. Portanto cuidar de um bichinho, alimentando, oferecendo cuidados com a higiene ajuda a ocupar a mente, distraindo de pensamentos negativos.

O veterinário Bruno Sadeck explicou que antes de tomar a decisão de adotar é preciso que toda a família entre em consenso para a chegada do novo membro.

"É um ser vivo que vai participar do convívio familiar, em média, em torno de 12 anos. A família tem que considerar isso para não haver o abandono futuro", enfatiza.

O animal, diz o veterinário, tem direitos como: abrigo, alimentação de qualidade, cuidados médicos veterinários e deve ter as características individuais respeitadas.

“É preciso saber que esse animal, uma vez ou outra, pode vir a adoecer, e tem que ser avaliado se a pessoa vai ter condições de manter e tratar esse animal na hora da doença. São ponderações que se deve levar em conta”, explica Sadeck.

Após essas análises, caso a família resolva seguir adiante com a adoção, a veterinária Carolina Nunes Pimenta, pontua alguns dos cuidados necessários para a adaptação do cachorro ou gato no novo lar:

  • Faça as mudanças necessárias na sua casa antes da chegada do animal. O seu novo amigo trará novos hábitos e novas rotinas e, por isso, é fundamental que você esteja preparado para a chegada e para essa primeira fase de adaptação;
  • Prepare os locais de alimentação, de fazer necessidades e de descanso do animal. Isso ajuda a criar referência e disciplina, sendo importante que eles tenham acesso completo e a qualquer hora ao cantinho próprio;
  • Adapte sua rotina à do animal. O passeio, por exemplo, é a principal atividade física dos cães e é essencial que você tenha tempo para fazê-lo "se mexer bastante" todos os dias (pelo menos 15 minutinhos). No caso de gatos, reserve um tempo para brincar com eles;
  • Compre vasilhas de comida e água, caminha, coleira de passeio e caixa de transporte. Escolha a ração de acordo com peso, idade e porte do animal;
  • Agende uma visita ao veterinário para um check up. Ele irá te orientar sobre os cuidados de higiene e alimentação, além de vermifugação e vacinação;
  • Tenha em mente que o animal requer cuidados constantes e exige gastos na sua manutenção. Se você não dispõe de tempo ou não quer gastar um pouco de dinheiro, melhor não adotar.

O animal não é dispensável. A posse deve ser responsável e o animal não pode ser dispensado por qualquer que seja o motivo. Uma vez adotado, ele vira parte da família e deve ser tratado como tal.

Denúncias de maus tratos

Em Rondônia, as denúncias de maus tratos podem ser feitas na Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes contra Meio Ambiente (DERCCMA), através dos números 197 ou WhatsApp (69) 98439-0102.

De acordo com a delegacia, somente nos oito primeiros meses deste ano, as denúncias de maus tratos dobraram se comparado com o registrado ano passado. Foram 393 denúncias somente de janeiro a agosto de 2021 no estado.



Fale conosco