• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, segunda-feira 15 de abril de 2024

Kombucha pode reduzir acúmulo de gordura, sugere estudo

Um estudo experimental mostrou que a bebida fermentada e probiótica pode ter efeitos semelhantes ao jejum no metabolismo de gorduras


CNN

Publicada em: 02/04/2024 08:48:13 - Atualizado

BRASIL: Um novo estudo descobriu que os probióticos presentes no kombucha podem alterar o metabolismo de gorduras no intestino de uma maneira semelhante ao que acontece durante um jejum. De acordo com pesquisadores, a bebida pode ajudar a reduzir o nível de gordura corporal e diminuir os níveis de triglicerídeos no sangue — quando está em níveis altos no sangue, esse tipo de gordura pode levar ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

O kombucha é uma bebida fermentada e adoçada que ganhou popularidade nos últimos anos devido aos seus possíveis benefícios para a saúde, como a redução da pressão arterial, prevenção do câncer e proteção contra doenças metabólicas. Segundo estudos, esses benefícios poderiam vir dos micróbios probióticos presentes na bebida e de seus efeitos no metabolismo de humanos.

O novo estudo, que foi publicado no dia 28 de março, no PLOS Genetics, foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill, nos Estados Unidos e buscava entender como o kombucha poderia impactar o metabolismo.

Para isso, eles utilizaram vermes nematode worm C. como modelos para o estudo e os alimentaram com a bebida. Os pesquisadores descobriram que as leveduras e bactérias colonizaram os intestinos dos vermes e criam mudanças metabólicas semelhantes às que ocorrem durante um jejum. Os micróbios alteram a expressão de genes envolvidos no metabolismo de gorduras, levando a mais proteínas que quebram gorduras e menos proteínas que constroem um tipo de molécula de gordura chamada triglicerídeos. Tudo isso levou à redução das reservas de gordura nos vermes.

Para os pesquisadores, os achados do estudo fornecem pistas sobre como os probióticos presentes no kombucha podem impactar o metabolismo humano. No entanto, mais pesquisas precisam ser realizadas para fornecer evidências de que os mesmos efeitos encontrados no organismo dos vermes são observados em humanos.

Ainda segundo os autores, os resultados do atual estudo parecem reforçar os achados de outras pesquisas sobre os benefícios do kombucha.

“Ficamos surpresos ao descobrir que animais que consumiram uma dieta composta pelos micróbios probióticos encontrados no kombucha exibiram redução na acumulação de gordura, níveis mais baixos de triglicerídeos e gotículas lipídicas menores — uma organela que armazena os lipídios da célula — quando comparados a outras dietas. Essas descobertas sugerem que os micróbios no kombucha desencadeiam um estado ‘semelhante ao jejum’ no hospedeiro mesmo na presença de nutrientes suficientes”, afirmam os pesquisadores, em comunicado à imprensa.




Fale conosco