• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quinta-feira 19 de maio de 2022

Piscicultura tem destaque no sul do Amazonas


Por Antônio de Almeida

13/05/2022 10:25:54 - Atualizado

Como parte da política conjunta adotada pela gestão do prefeito de Humaitá — Dedei Lobo — e, do Governador Wilson Lima —, a SEMAPA – Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura, sob a coordenação do

Secretário Amarildo dos Santos, teve o Centro de Treinamento e de Produção de Alevinos de Humaitá – CTTPAH -AM, neste primeiros meses de 2022, uma produção total de 800.000 (oitocentos mil alevinos) da espécie tambaqui e já atendeu a um significativo contingente de produtores rurais e piscicultores, associados da AQUAHUMA – Associação de Piscicultores de Humaitá e região, e de outras entidades de classe, totalizando, de acordo com o

Secretário de Agricultura, Amarildo dos Santos, a distribuição de um total de 159.000 alevinos de tambaqui, com um padrão genético, com excelente linhagem, com matrizes chipadas para se conhecer a qualidade genética

Sul do Amazonas.

destes reprodutores e, assim, evitando a consanguinidade e deformidade desua prole.

Com esta produção de 400.000 alevinos, até a presente data,considerada ainda um produção incipiente, diante das pretensões da Prefeitura Municipal de Humaitá, e, por considerar a potencialidade da região para piscicultura, por parte dos municípios do Sul do Amazonas — quando os produtores rurais e piscicultores, em início de atividade, possuem instalações já adaptadas e outras adaptáveis para desenvolverem a piscicultura, de forma sustentável — a piscicultura de subsistência e, assim, abastecerem suas famílias e os demais centros consumidores de pescado, com um alimento de alta qualidade proteica, uma vez que a produção de pescado oriunda da atividade extrativista não vem atendendo, a contento, as necessidades alimentares das populações que habitam às margens de rios, igarapés e tributários da bacia Amazônica e se encontram com dificuldades em alimentarem suas famílias e em verdadeiro estado de insustentabilidade alimentar, abaixo da linha da pobreza, e vem se alimentando, a grande maioria, graças aos programas emergenciais dos governos federal, estadual e municipais.

Segundo o Secretário Amarildo dos Santos, esta distribuição de alevinos de tambaqui produzidos no CTTPAH -AM vem atendendo, a contento, as primeiras demandas dos produtores e piscicultores do Sul do Amazonas, em

especial aos municípios de Humaitá, Lábrea, Manicoré, Camutama e até Porto Velho e Itapuã do Oeste, em Rondônia e região, quando se sabe que estamos necessitando de uma maior produção de alevinos e, para que isto ocorra, torna-se necessária a implementação de políticas públicas governamentais, com um significativo aporte de recursos humanos, financeiros e materiais suficientes para atender as necessidades imediatas do CTTPAH-AM e das populações que habitam à região do Sul do Amazonas.

O CTTPAH tem a gestão técnica-administrativa do entusiasta e dinâmico  Secretário de Agricultura, Pesca e Aquicultura, Amarildo dos Santos, apoiado por um corpo técnico permanente formado por: Antônio de Almeida Sobrinho

(Engº de Pesca SEPA/SEPROR/AADESAM); Bruno Gonsalves Botão (Engº Agrônomo SEPA/SEPROR/AADESAM) e Irineu Cecconetto Netto (Téc. Em Recursos Pesqueiros SEPA/SEPROR/AADESAM) e, ainda, com uma mão de obra qualificada, formada por Sebastião, Celso, Raimundo, Mário e Manoel, servidores e prestadores de serviços especializados na manutenção do CENTRO, contratados pela Prefeitura Municipal de Humaitá, no total de cinco colaboradores.

Nos últimos dois meses foram reproduzidos pelo CTTPAH em torno de 400 mil alevinos da espécie tambaqui e, até então, já foram distribuídos cerca de 159 mil alevinos e atendimento das primeiras demandas por este tão importante insumo para produção de alimento, geração de emprego e renda, segurança alimentar e, ao mesmo tempo,  20 mil alevinos da espécie tambaqui estão acondicionados em sacos plásticos para serem

transportados para o município de Lábrea. reduzir os desníveis da insustentabilidade alimentar na região do Sul do estado do Amazonas.

Para o Secretário da SEMAPA – PMH, Amarildo dos Santos, a parceria entre SEPA/SEPROR, com os apoios diretos do Secretário da SEPA, Leocy Cutrim e do Secretário da SEPROR, Petrúcio de Magalhães Júnior, respectivamente, expressam, nitidamente, o alinhamento de preocupações do Governador do Amazonas, Wilson Lima, em parceria com as prioridades da administração do prefeito de Humaitá, Dedei Lobo, em apoiar as classe de baixo poder aquisitivo, em especial os povos da floresta, incluindo pescadores ribeirinhos e extrativistas, populações tradicionais e de etnia indígena e quilombolas — que se alimentam de peixes, frutas e de subprodutos extrativistas da biodiversidade da bacia Amazônica — e que hoje estão sendo amparados por programas emergenciais dos governos federal, estadual e municipais para alimentar suas famílias.

Para tanto, complementa o secretário de Agricultura de Humaitá, Amarildo dos Santos, que o caminho mais curto para apoiar e fortalecer as famílias de baixo poder aquisitivo que residem em municípios do Sul do Amazonas e do entorno, é, sem dúvida, a produção e a distribuição de alevinos da tambaqui, com qualidade e em quantidade, como mecanismo de incentivar à prática de políticas públicas, com alto poder produtivo e seguir fielmente as recomendações de Kung Fu Tsé (Confúcio): “Melhor que dar um peixe a um homem é ensiná-lo a pescar”. A Prefeitura faz doação de alevinos de tambaqui para o homem da floresta e este produz o alimento para alimentar a sua família e, assim, oportuniza: a produção de alimento, com geração de emprego e renda; o desenvolvimento sustentável; o aumento da produção brasileira de

 O Secretário da SEMAPA, Amarildo dos Santos, acondiciona os alevinos produzidos no CTTPAH – AM. . pescados; a inclusão social e a segurança alimentar, em consonância com as cinco prioridades do Decreto 10.576 de 14 de dezembro de 2021, publicado no

Diário Oficial da União, através do Ministério do Meio Ambiente – MMA, Governo Federal.

A pesca artesanal na bacia Amazônia não apresenta alento para suportar por muito tempo os atuais níveis de esforço de pesca e, portanto, há muito tempo vem apresentando sinais de declínio populacional de seus estoques pesqueiros e tem, na atual conjuntura, a piscicultura como método seguro e eficiente para produção de alimento.

Por ser uma atividade incipiente no Sul do Amazonas, a piscicultura se desponta como uma vocação natural dentre um leque de alternativas do setor primário, por razões óbvias, por ter o pescado como o prato típico na alimentação do amazônida e sua atual excassez, tendo como principais motivos: por ter os estoques pesqueiros uma produção finita e a sobrepesca que tem sida praticada em todos os rios e tributários da bacia Amazônica.

O Secretário da SEPROR, Petrúcio de Magalhães Júnior, em sintonia com o Secretário Executivo Adjunto da SEPA/SEPROR, Leocy Cutrim, estão implementando um programa ostensivo, de suma importância em todos os municípios do estado do Amazonas, no âmbito da pesca e aquicultura, quando os profissionais contratados através da AADESAM que atuam junto à SEPA/SEPROR têm desenvolvido um trabalho sem precedentes na história do Amazonas, com acesso ao Crédito Bancário, beneficiando centenas de microempresas, Colônias de Pescadores e Associações de Pescadores e Associações Rurais, dentre outras.

Por outro lado, este trabalho de ATER que vem sendo desenvolvido pela SEPA/SEPROR, em parceria com o IDAM, Prefeituras Municipais e demais entidades governamentais e não governamentais, é de grande importância para desenvolver ações conjuntas e, assim, maximizar os resultados e minimizar os custos operacionais e, desta forma conjunta, tem prestado relevantes serviços em apoio à pesca artesanal e ao desenvolvimento da aquicultura, servindo como multiplicadores, desde a realização de “acordo de pesca” entre pescadores que têm áreas em conflitos; capacitação técnica em tecnologia do pescado, em piscicultura, tecnologia de pesca, associativismo e 6 cooperativismo pesqueiros, legislação ambiental e em culinária regional à base de pescado, dentre tantas outras atividades.

Se você tem água abundante em sua propriedade e interesse em criar peixe para alimentar sua família e até comercializar o excedente para outros centros consumidores de pescado, nos procure aqui no Centro de Treinamento e Tecnologia de Produção de Alevinos de Humaitá – CTTPAH – AM.

Se você tem ÁGUA + AÇÚCAR + LIMÃO = LIMONADA

Se você tem ÁGUA + ALEVINO + ALIMENTO = PESCADO

VAMOS FAZER O TESTE DE SÃO TOMÉ,

PRA VER COMO VAI DAR CERTO!!!



Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.