• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, segunda-feira 15 de abril de 2024

Nobel de Física pensa diferente de Confúcio sobre crise climática; Mariana, Máximo e Moraes...


Por Sérgio Pires

01/04/2024 17:46:16 - Atualizado

TODA A UNANIMIDADE É BURRA. AINDA BEM QUE HÁ UM PRÊMIO NOBEL DE FÍSICA PARA CONTESTAR O AQUECIMENTO GLOBAL

Apaixonado pelas questões ambientais e pela ecologia, ao ponto de criar mais onze áreas de preservação em Rondônia, onde apenas uma pequena parte do território ainda pode ser utilizada para produção, porque o restante está todo envolvido em áreas de proteção, o senador e ex-governador Confúcio Moura disse, em pronunciamento, que “acho que não tem mais ninguém que duvide do aquecimento global”, causado pelo efeito estufa.

Como toda a unanimidade é burra, há quem não concorde. Confúcio fala a mesma linguagem que a imensa maioria ambientalistas, de organismos internacionais, da ONU e outras organizações, além das famigeradas ONGs, que faturam bilhões de dólares anunciando o fim do mundo para breve, por causa do aquecimento. Todos os que contestam essa ideia (é teoria, porque nunca foi comprovada cientificamente, de forma irrefutável) são tratados como negacionistas, como idiotas, vivem sob risos e ironias dos que não aceitam qualquer outro argumento que possa, eventualmente, contrariar o que já se tomou como verdade definitiva.

Portanto, que não se convide para a mesma mesa personagens como Confúcio Moura e os que pensam como ele, com, por exemplo, personagens como o Prêmio Nobel de Física, John Clauser. Afirmações do Nobel: "não existe crise climática. O aquecimento global é uma farsa perpetrada em escala global por instituições como a ONU. Por mais que eu possa incomodar muitas pessoas, minha mensagem é que o Planeta não está em perigo. Eu me considero um negacionista do clima. Me disseram que isso não é politicamente correto. Então, acho que sou uma pessoa de crise climática”, concluiu, ironizando.

Mas o senador rondoniense e a ampla maioria que pensa como ele, poderiam dar chance a outros que contestam o aquecimento global; que o transformaram uma verdade definitiva e que infernizam a vida de quem ousa contestá-los. A imprensa, aliás, raramente dá espaço para personalidades como o cientista canadense Timoth Oke, que também vocifera contra esta batalha ambientalista, recheada de teorias que consideram irrefutáveis, mas que continuam sendo consideradas como um catastrofismo que dá muito lucro. Ou se poderia ouvir os brasileiros Luis Carlos Molion, meteorologista renomado e o climatólogo Ricardo Felício, ambos muito conhecidos nos meios da Ciência do nosso país.

Como os cientistas de outros países, os dois são tratados como verdadeiras ignorâncias, mesmo com todo o conhecimento, porque dizem que não há qualquer conclusão científica do aquecimento. Por enquanto, só a versão da destruição do Planeta em curso, que tem enriquecido muita gente e colocado muitos ingênuos como aliados, pode ser contada.

Quando o outro lado tiver a oportunidade de dizer os motivos pelos quais discorda do catastrofismo, quem sabe tenhamos uma batalha intelectual menos recheada de parcialidade e dólares...

EM 168 HORAS, MARIANA, FERNANDO E LÉO MORAES TERÃO QUE TOMAR DECISÕES DEFINITIVAS PARA A DISPUTA DA PREFEITURA DA CAPITAL

O tempo voa. Faltam em torno de 168 horas. Apenas sete dias. Ou seja, está batendo no ponteiro do relógio o horário das decisões. E elas são muitas, em relação ao que terá ainda que ser definido em relação à disputa pela Prefeitura de Porto Velho. A primeira grande dúvida envolve os dois principais nomes, apontados até agora nas pesquisas, como aqueles que, mesmo a seis meses da eleição, estão com chances reais de vitória. Mariana Carvalho vai mesmo deixar o Republicanos e ingressar no União Brasil, fechando a porta para que Fernando Máximo saia como preferido do partido do governador Marcos Rocha e seu grupo político? E Máximo, caso fique sem espaço no seu atual partido, mudará mesmo de lado, com risco real de perder seu mandato como deputado federal? A resposta a essas perguntas terá que ser dada até a meia noite do sexto dia de abril, que está começando, quando encerra o prazo para que os que vão concorrer em outubro, troquem de partido. Também até o dia 6, outro nome forte na corrida em Porto Velho terá que se decidir. Léo Moraes fica no comando do Detran, onde está fazendo um trabalho recheado de elogios ou vai deixar o cargo para tentar passar Mariana e Máximo? O tempo corre célere. Em uma semana, teremos respostas para todas estas perguntas.

DÚVIDAS NÃO SÓ NA CAPITAL, MAS TAMBÉM NO INTERIOR. ESTÁ CHEGANDO A HORA DAS DECISÕES, PORQUE OUTUBRO É LOGO ALI!

Em cada uma das 52 cidades de Rondônia, neste final de semana, dirigentes partidários e candidatos às Prefeituras e Câmaras de Vereadores não tiveram paz e nem descanso. Na reta final para as decisões, com a data final para troca de siglas chegando, as conversas se intensificam. Em Porto Velho, por exemplo, um grupo de vereadores até agora não definiu por qual sigla vão disputar, porque cada um avalia sua chance nesta ou naquela sigla; quem serão seus adversários mais poderosos, que poderão até tirar-lhe a cadeira ou quem poderá ajudar a se reeleger. Pelo menos seis dos atuais membros da Câmara, ainda estão decidindo se vão para o União Brasil; se vão em bloco para outro partido ou se, na Hora H, cada um vai para seu lado, buscando a tábua de salvação. Em Ji-Paraná, o segundo maior colégio eleitoral de Rondônia, a dúvida é se Jesualdo Pires vai mesmo disputar a Prefeitura ou se Laerte Gomes vai nadar de braçada, sem um adversário poderoso como o ex-Prefeito. Em Cacoal, a reeleição de Adailton Fúria é dada como certa, mesmo com as incertezas de sempre que as urnas podem trazer. Em Jaru, Jéverson Luis Lima, o atual vice-prefeito, ao menos por enquanto não tem um adversário que possa tirá-lo da cadeia que hoje é ocupada por seu parceiro, o prefeito Joãozinho Gonçalves. Em Rolim de Moura, Aldo Júlio , do PL, é o nome mais quente para se manter no cargo. E em Vilhena, depois de um começo problemático, Flori Cordeiro Miranda começa a encaminhar sua reeleição, embora deva enfrentar grupos poderosos. Outubro é logo ali. E o interior também fervilha com a política.

PARCERIA ROCHA/HILDON, O VICE QUE SERÁ GOVERNADOR E O EFEITO IVO CASSOL: É ESTE O PACOTE ATUAL SOBRE A DISPUTA DE 2026

A mobilização dos partidos e das lideranças políticas nos municípios, claro, tem a meta principal, a curto prazo, eleger o maior número de prefeitos e vereadores possível. Porque é essa a base principal para a questão que realmente é a mais desafiadora de todas: a preparação para a disputa ao governo, daqui a dois anos e meio. Nomes já são citados como certos para a corrida ao Palácio Rio Madeira/CPA, mesmo a 30 meses da próxima corrida eleitoral. Como o governador Marcos Rocha vai disputar uma cadeira ao Senado, seu vice, Sérgio Gonçalves, ficará no cargo por cerca de oito meses e já está se preparando para uma eventual disputa à sucessão do governo que ele participou apenas como secretário no primeiro mandato e que é o subcomandante no segundo. Ele tem, contudo, grandes desafios pela frente. Um deles é se a aliança até agora ainda em vigor, entre Rocha e o prefeito Hildon Chaves, da Capital, se manterá. Embora fragilizado neste momento, o acordo político pode ser reativado e fortalecido, dependendo dos próximos acontecimentos. Nesta caso, Rocha apoiaria Hildon ao Governo e Hildon o apoiaria ao Senado. Claro que haverá outros nomes poderosos para a corrida de 2026 e alguns deles poderão surgir das urnas municipais, em outubro próximo. Mas a grande reviravolta nos planos de todos os que sonham com o Palácio do Governo está prestes a acontecer. Caso seja mesmo aprovada a mini-reforma eleitoral, Ivo Cassol será candidatíssimo. E com ele no cenário, muda tudo. Agora, é esperar para se ter uma visão mais clara da situação. A eleição é em 2024, mas seus resultados, sem dúvida estarão com olhos voltados para 26.

MICROS E PEQUENOS RECEBERAM 110 MILHÕES DE REAIS, UM RECORDE HISTÓRICO, INVESTIDO NA ECONOMIA DE RONDÔNIA

Havia um pequeno empreendedor em Alta Floresta do Oeste, que precisava de crédito para começar seu negócio. Uma empreendedora de Jaru, conseguiu algo em torno de 5 mil reais, o máximo possível, para impulsionar sua microempresa, para dar alguns passos a frente e se consolidar no mercado em que atua. Obviamente são exemplos apenas para ilustrar como o governo de Rondônia investiu mais de 110 milhões de reais, num programa inédito de microcrédito que beneficiou iniciativas de rondonienses em 42 dos 52 municípios rondonienses. O Programa de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores de Pequenos Negócios (Proampe) para a área do Agro, por exemplo, fez financiamentos de até 100 mil reais, com pagamento em até 36 meses, com juros de meio por cento e pagamentos mensais, semestrais o anuais. Há também um sistema de empréstimos para o programa chamado de Proampe Delas. Neste caso, que é fruto da associação dos esforços do Sebrae junto com o Governo, o programa incentiva, apoia e fortalece o empreendedorismo feminino, apoiando as mulheres empreendedoras. Elas podem usufruir de empréstimos de até 5 mil reais, com prazo de carência em 12 meses e juros de meio por cento ao mês. Há várias formas de apoio que merecem ser pesquisadas. Todo o programa, criado no governo Marcos Rocha, é comandado pelo secretário de Desenvolvimento e vice-governador Sérgio Gonçalves, que comemora os ótimos resultados até agora alcançados.

CPI DAS ONZE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO RECEBE PROTESTO DE CUJUBIM, ONDE MORADORES PERDERAM ESTRADA QUE USAVAM HÁ 40 ANOS

Mais de mil famílias que vivem da terra em Cujubim, acompanham muito de perto o andamento da CPI da Assembleia Legislativa que investiga eventuais ilegalidades na criação de onze Unidades de Conservação e Preservação em Rondônia, evento criado na última noite do governo Confúcio Moura, quando ele deixava o cargo para postar-se como candidato ao Senado. Aliás, uma das decisões do encontro da CPI nesta semana, foi atender proposta do deputado Pedro Fernandes, para a realização de uma audiência pública naquela localidade, para ouvir os pedidos e protestos de cerca de mil moradores, extremamente prejudicados com a criação de uma das onze áreas de preservação. O presidente e idealizador da CPI, o deputado Alex Redano, uma das vozes mais fortes contra o que se cometeu contra trabalhadores rurais, alguns há décadas trabalhando nesta e em outras áreas, definiu o dia 17 deste abril que está chegando, uma quarta-feira, para a realização da audiência. Uma das maiores excrescências, que tem gerado muitos protestos, é o fechamento de uma estrada que há mais de 40 anos era utilizada pelas famílias, para deslocamento de todos. Segundo Redano, além desta, a CPI tem recebido uma série infindável de denúncias, que estão surgindo de todos os lados. Tudo isso deve constar do relatório final da Comissão, que continua seus trabalhos, em defesa dos produtores rondonienses.

BRAGUIN CHAMA A LCP DE GRUPO CRIMINOSO E ANUNCIA BATALHÃO ESPECIAL DA PM PARA COMBATER AS FACÇÕES DO CRIME ORGANIZADO

Bandidos que vieram do Acre para “reforçar” o PCC, como contaram aos PMs que os prenderam, após tiroteio no conjunto popular Morar Melhor, já sentiram como a polícia rondoniense está agindo contra as facções criminosas. A “guerra” às facções e organizações criminosas será ampliada, conforme disse textualmente o comandante da Polícia Militar do Estado, coronel Régis Braguin. As ações violentas, realizadas com crueldade, praticadas pelas facções. Braguin citou nominalmente o que chamou de grupo terrorista, a Liga dos Camponeses Pobres, a famigerada LCP, que, segundo ele, prega a morte das pessoas. “O braço armado da LCP, quando comete um crime, eles o praticam com requintes de crueldade. Descarregam uma arma calibre 12 no rosto da vítima. São ações mediante a violência e o terror”, declarou o comandante, durante recente entrevista. É o que ele chamou de “terrorismo criminal”. Num outro trecho, Braguin comentou que “hoje comando uma instituição com quase cinco mil homens. Nós estamos desenvolvendo novos meios para responder às facções, principalmente na Capita!”. O comandante da PM avisou que nos próximos dias, estará sendo instalada num novo Batalhão apenas para o combate às facções. A resposta à bandidagem não vai arrefecer, garantiu. Foi uma longo e esclarecedor depoimento do homem que cuida da nossa segurança, à frente de uma grande corporação. Ele falou muito mais. Para se acompanhar tudo o que disse o coronel Braguin, basta acessar o link https://www.instagram.com/p/C5G9_OgJWoG/.

MADURO DIZ QUE LULA CUMPRIU ORDENS DOS ESTADOS UNIDOS PARA EMITIR NOTA DE CENSURA À DITADURA VENEZUELANA

Não foi o presidente Lula e nem seus comandados quem emitiram uma nota de protesto, uma censura pública contra a ditadura da Venezuela, por não permitir a participação de opositores no processo eleitoral do país comandado pelo até agora amigão do Presidente brasileiro, ao ponto de ser recebido no Brasil com todas as pompas. Ao responder a nota do Itamaraty, divulgada a mando de Lula, na verdade o Brasil estava apenas cumprindo uma ordem dos Estados Unidos, segundo o ditador cada vez pior Nícolas Maduro, que, com apoio de um Judiciário que se ajoelha aos seus pés, acabou com as chances de qualquer opositor disputar a Presidência. Maduro está cada vez mais isolado. Dentro do país, impõe uma ditadura sanguinária, onde os famintos só recebem comida do Estado caso comprovem participação em eventos de apoio ao seu governo. Fora dele, tinha apenas apoios de governos extremados da esquerda, incluindo o de Lula, que, orientado por assessores e pelo bom senso, está caindo fora do barco, para não correr o risco de afundar com ele. Sem opositor, a tendência é que o ditador que já colocou para fora do país mais de sete milhões de pessoa, fugindo da miséria e da fome que o comunismo lhes impõem, seja reeleito mais uma vez. Todas as pesquisas apontavam que ele perderia para qualquer opositor. Então, com o aval de um Judiciário capcioso e parceiro, Maduro segue sozinho na sua ditadura. Se sair da Venezuela e entrar em algum país que não seja esquerdista, será preso e enviado para os Estados Unidos, onde é procurado como traficante internacional de drogas.

LÉO MORAES, COM COMANDO MUITO ELOGIADO NO DETRAN, DIZ QUE DISPUTAR A PREFEITURA DA SUA CIDADE É UM DESAFIO

Léo Moraes vive um momento especial na sua vida pública. Desde que assumiu a direção geral do Detran, seu comando tem colocado o órgão num novo patamar. Com redução de taxas e tributos; com ações práticas de campanhas educativas no trânsito; com ideias como a criação de um Hospital de Traumatologia, para acidentados e com uma drástica redução dos valores a serem pagos em multas e outros custos, para que os 30 mil veículos apreendidos nos pátios em todo o Estado, ele tem sim o que comemorar. Mas há mais. Seu momento como político também vai muito bem. Tem estado, nas pesquisas, entre os três nomes mais cotados para assumir a Prefeitura, muito perto de Fernando Máximo e Mariana Carvalho. Ao participar do programa Papo Redação, na SICTV, neste sábado e perguntado diretamente se deixará o Detran para concorrer em outubro, Léo não ficou em cima do muro. Disse que tem até junho para decidir e que jamais fugiu de um desafio. Portanto, disputar a Prefeitura da sua cidade está sim nos seus planos. Ao responder uma séria de perguntas dos Dinossauros da TV (Everton Leoni, Hiran Gallo, Juacy Loura Júnior, Beni Andrade, Jorge Peixoto e Sérgio Pires) Léo não fugiu de nenhuma questão e, ainda, ouviu elogios vindos de mensagens enviadas ao programa por vários telespectadores. Ex-vereador, ex-deputado federal, Moraes ainda quer sentar na cadeira de Hildon Chaves. Ele tem ainda mais de dois meses para decidir.

PERGUNTINHA

Com o corte de 2 bilhões e 900 milhões de reais do orçamento da União para este ano, principalmente no setor de Infraestrutura e Cidades, obras que estão sendo realizadas em Rondônia ou projetadas, como a ponte binacional Brasil/Bolívia, em Guajará Mirim, poderão ficar inacabadas ou passar mais alguns anos só no papel?


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade.