• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quarta-feira 22 de maio de 2024

‘Ele gostava de menininha nova’, conta amiga de jovem morta por homem 37 anos mais velho que ela

Logo após matar a companheira a tiros, o criminoso cometeu suicídio na casa que virou cena de dois crimes, em Campinas (SP)


Redação

Publicada em: 16/04/2024 18:01:07 - Atualizado

BRASIL: O site conta a história de uma jovem que teve sua vida interrompida por um homem que acreditava ter a sua posse. Ariane, de 18 anos, perdeu os pais quando tinha apenas 12 e vivia com o seu irmão de consideração em Campinas (SP).

Assim que ficou órfã, a garota conheceu Marco Antônio de Souza, um vigilante local 37 anos mais velho que ela. Vulnerável e desamparada, Ariane começou a se relacionar amorosamente com o homem ainda quando criança.

Recentemente, ao atingir a maioridade, a jovem resolveu encerrar a relação que mantinha com o segurança. O homem, agora com 55 anos, não gostou da decisão e tomou medidas drásticas. A equipe do programa foi até a residência da garota onde Marco, por ciúmes, a matou e depois tirou a própria vida.

Segundo uma amiga próxima da vítima, que preferiu não se identificar, Ariane era cheia de sonhos. Ela tinha acabado de fazer 18 anos e queria tomar outros rumos na sua vida, o que não conseguia no relacionamento possessivo que vivia com Marco.

Além disso, a jovem mostrou mensagens de voz enviadas pela amiga antes de ser morta. Preocupada com o que poderia acontecer ao tomar a decisão do término, Ariele previu: “Preciso sair dessa casa o mais rápido possível”. Porém, não teve tempo suficiente e acabou sendo baleada pelo vigilante.

Na noite em que tudo aconteceu, Marco já chegou no local decidido do que faria com Ariane. Armado, primeiro, com uma faca, ele pulou o muro do imóvel e foi direto até o cômodo onde ela estava.

Chegando lá, foi impedido pelo irmão da vítima, que logo foi surpreendido por uma pistola, utilizado para matar a jovem no local. Após efetuar os disparos contra ela, o assassino tirou a própria vida com a mesma arma. Apesar disso, o criminoso ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu no hospital.

Foi descoberto, de acordo com relatos de conhecidos, que Marco apresentava um histórico de deslizes morais e éticos. Ou seja, ele já havia se envolvido com menores de idade antes. A amiga da vítima contou, também, que o vigilante se aproveitou da fragilidade não apenas de Ariane, mas de outras meninas. “Ele gostava de se relacionar com meninas mais novas, era o fetiche dele”, revelou.

Porém, no tempo em que ficaram juntos, a vítima deixava claro que a relação dos dois era apenas causal. Marco, por sua vez, sempre aceitou a condição da garota. Tudo mudou, então, quando ela resolveu dar um ponto final à história do casal. Isso porque, supostamente, ela estaria dando início a outro caso amoroso.

Ao suspeitar do suposto novo relacionamento da garota, o vigilante começou a mandar “recados” para a jovem. “Ele estava aparecendo na casa e ameaçando”, contou a amiga da vítima que revelou, também, uma mensagem postada por Ariane em suas redes sociais: “Avisou que se acontecesse alguma coisa com ela, já poderíamos saber quem foi”.

Após o feminicídio seguido de suicídio, a polícia isolou a residência. Na perícia, foram coletadas provas e uma arma branca e de fogo foram apreendidas. Agora, é investigada a possibilidade de Marco ter sido influenciado a cometer o crime por uma suposta conhecida da vítima, que tinha intenções de se relacionar com ele.



Fale conosco