• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sexta-feira 21 de junho de 2024

Samu garante suporte em casos de urgência e emergência no município de Porto Velho

Falta de informações e trotes interferem bom funcionamento do serviço


SMC

Publicada em: 25/02/2022 09:41:35 - Atualizado

PORTO VELHO-RO: Com cerca de 1.250 atendimentos realizados por mês, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) vem salvando vidas e garantindo ao cidadão um serviço de qualidade. Na capital, a atual estrutura do Samu conta com cerca de 170 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros e auxiliares, e dez viaturas para atender a população de Porto Velho e o distrito de Jaci-Paraná.

Ao todo, o sistema conta com uma Unidade de Suporte Avançado (USA), seis Unidades de Suporte Básico (USB), duas Unidades Reservas e uma UBS no distrito de Jaci-Paraná. São viaturas devidamente equipadas para diversos tipos de ocorrências, como Atendimento Pré-Hospitalar (APH), remoções e suporte a pacientes que fazem hemodiálise.

Além do resgate de pacientes, o diretor do Sistema de Urgência e Emergência, da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Raymison Corrêa, explica que as equipes também dão orientações à população sobre procedimentos básicos.

“Muita gente não sabe ou não têm o hábito de ligar e perguntar, mas o Samu também através da regulação médica orienta a população, dá informações sobre o que fazer em casos simples ou como proceder enquanto aguarda a equipe médica”, explica.

Existem, ainda, treinamentos obrigatório de habilitação do Samu junto ao Ministério da Saúde, através doo Núcleo de Educação Permanente (NEP) coordenado por Leda Maria e sua equipe.

Quando alguém liga para o 192, a chamada é atendida por um Telefonista Auxiliar de Regulação Médica, conhecido por Tarms. Esse funcionário coleta as informações básicas do solicitante e do paciente e pergunta qual é a urgência. A prioridade, neste primeiro momento, é entender a localização exata e a gravidade do chamado.

Durante o procedimento com o telefonista, é importante que o solicitante mantenha a calma e responda corretamente aos questionamentos feitos pelo Tarms.

Após as perguntas, o atendente passa o caso a um médico regulador. Nesta etapa, o atendimento é por ordem de prioridade e não por ordem cronológica. Ou seja, quanto mais grave a situação registrada pelo Tarms, mais rápido o profissional prosseguirá o atendimento.

A maioria dos casos é atendida pelas Unidades de Salvamento Básico (USBs), que têm equipes formadas por um condutor e um técnico em enfermagem. Só em casos mais graves as Unidades de Salvamento Avançado (USAs), com profissionais de saúde especializados como médico, enfermeiro e condutor, são acionadas.

As equipes do Samu não realizam o transporte de pacientes para consultas médicas ou para realizar exames; não fazem transporte de óbito ou inter-hospitalar de pacientes de convênio; não atendem a chamados ambulatoriais, como dor de dente, gripe, ou trocas de sonda.

TECNOLOGIA

O sistema Velp é um avanço na área da informação e tecnologia do Samu no qual disponibiliza ferramentas de gravação de ligações, smartphone e de registro de dados importantíssimos para o serviço e melhoria do tempo resposta das ocorrências.

CONSCIENTIZAÇÃO

O Coordenador chama atenção para a importância da cooperação da sociedade para o bom funcionamento do Samu. Segundo ele, a falta de informações mínimas sobre o estado do paciente e os trotes recebidos nos telefones de emergência acabam dificultando o trabalho das equipes, que são selecionadas de acordo com o nível de urgência.

“Quando alguma pessoa nos liga, é muito importante que ela nos dê o maior número de informações possíveis sobre a gravidade do estado de saúde do paciente, para que nós possamos definir nosso melhor recurso disponível. Além disso, os trotes que nossas equipes têm recebido prejudicam a efetividade do nosso serviço e coloca a vida de pessoas que realmente precisam dos nossos socorros”, alerta.


Fale conosco