• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, quarta-feira 6 de julho de 2022

O Dia na História - Compilação do jornalista Lúcio Albuquerque

Dia Mundial do Doador de Sangue, Dia Universal de Deus, Dia do Solista


Lúcio Albuquerque

Publicada em: 14/06/2022 11:42:34 - Atualizado


HOJE É

Dia Mundial do Doador de Sangue, Dia Universal de Deus, Dia do Solista,

Católicos lembram Santo Eliseu, profeta; São José, o Hinógrafo; Beata Nhá Chica, primeira brasileira a alcançar tal posição.

RONDÔNIA

1909 — Morre Afonso Pena, 6º presidente brasileiro (n. 1847), que autorizou a construção da ferrovia Madeira-Mamoré e a missão Rondon (Linha Telegráfica Estratégica).

BRASIL

1822 - Assinado na Bahia o 1º documento a manifestar oficialmente o desejo de independência do Brasil. 1909 – Devido à morte de Afonso Pena, o vice Nilo Peçanha toma posse como presidente do Brasil. 2015 — Falece Zito, em 1958 e 1962 bicampeão mundial com a seleção brasileira (n. 1932).

MUNDO

1940 - Setecentos e vinte e oito prisioneiros políticos poloneses de Tarnów se tornam os primeiros internos do campo de concentração de Auschwitz. 1966 — O Vaticano anuncia a abolição do Index Librorum Prohibitorum (“índice de livros proibidos”), instituído em 1557. Em 1982 - Termina a Guerra das Malvinas, com rendição dos argentinos aos ingleses.

FOTO DO DIA

Primeiro presidente brasileiro a morrer no exercício do cargo, o mineiro Afonso Pena (Afonso Augusto Moreira Pena), foi vítima de pneumonia a pouco mais de um ano de acabar seu mandato. Em seu governo Afonso Pena (foto) registrou, no interesse do que seria depois Rondônia, duas ações: 1) determinou o início da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré; 2) autorizou a implantação da linha telegráfica de Cuiabá a Porto Velho, trabalho liderado por Candido Rondon, depois patrono do Território (1956/1981) e do Estado (1981); 3) foi em seu período autorizada a construtora da EFMM a deslocar seu principal canteiro de obras de Santo Antonio para um local 7 KM Rio Madeira abaixo, surgindo daí a cidade de Porto Velho. Em seu Governo estimulou grandemente a imigração, principalmente de italianos e teve dois segmentos fortes na economia brasileira, a borracha amazônica e o café.