• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, domingo 21 de abril de 2024

Klara Castanho revela medo após estupro: "Entrei no modo sobrevivência e virei um zumbi"

Em entrevista para a 'Glamour', atriz relembra a dor do abuso que sofreu e como mensagens de apoio a ajudaram a passar pelo momento


terra

Publicada em: 22/02/2024 16:42:28 - Atualizado

Klara Castanho, 23 anos, falou sobre o estupro que sofreu e o impacto em sua vida e carreira. Em entrevista à Glamour, a atriz que cresceu diante dos olhos do público nos corredores dos estúdios Globo, abriu o coração sobre o trauma e a onda de apoio que recebeu pela primeira vez. E, entre as revelações, desabafou sobre ter sido forçada a se expor, "achei que poderia levar a dor para o caixão".

Com mais trechos da entrevista divulgados, Klara falou sobre como o abuso a fez pensar que a sua vida de atriz poderia ter chegado ao fim. "Não queria que fosse o fim da minha carreira," disse, destacando a importância de falar sobre o assunto. "Sabia que essa entrevista precisaria ser dada em algum momento. Me sinto forte para falar, só desta vez. Não vou deixar que a minha vida se resuma a esse episódio", disse

Após ter sua experiência de violência sexual exposta em 2022, Castanho descreveu o período subsequente como um pesadelo. "Todo o período desde o acontecido foi um pesadelo que ganhava novos desdobramentos. Eu simplesmente não queria viver aquilo," revelou. A atriz compartilhou como lutou para processar o acontecido, enfrentando insônia e uma profunda sensação de vulnerabilidade. "Eu não dormia, meus pais não dormiam. A gente chorava junto dois dias e dormia um. Acho que entrei no modo de sobrevivência e virei um zumbi. Foi um período de grande tortura para mim, "contou.

A decisão de seguir em frente veio da necessidade de proteger sua família e continuar na sua profissão. "Não queria que esse fosse o fim da minha carreira... Queria ter momentos bons de novo," explicou Klara.

Ao mesmo tempo, a atriz também destacou o apoio que recebeu por meio das redes sociais, descrevendo-o como um movimento de sororidade. "Meu direct do Instagram e meu e-mail se tornaram um ponto de troca e conversa. Recebi mensagens lindas. Recebi um amor de pessoas que não sei nem mensurar", disse.



Fale conosco