• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 25 de maio de 2024

Yasmin Brunet, Gabriel Medina e Simone Medina: entenda briga entre família

Desentendimentos, acordo judicial, divisão de bens e bloqueio nas redes sociais fazem parte da treta que começou em 2020.


g1

Publicada em: 14/10/2021 18:04:23 - Atualizado


A modelo Yasmin Brunet e o surfista Gabriel Medina vêm protagonizando, há meses, uma briga cada vez maior com Simone Medina, mãe do atleta. O novo capítulo da treta familiar pública envolveu acusações a Yasmin, que se defendeu em publicação no Instagram nesta quinta-feira (14), e pode chegar à Justiça.

Entenda, abaixo, origem e desenvolvimento da disputa:

  • Gabriel e Yasmin começaram a namorar em março de 2020. Desde então, a relação entre o surfista e a mãe dele, Simone, ficou estremecida.
  • O surfista e a modelo se casaram em janeiro de 2021. Contrários à união, a mãe e o padrasto do atleta, Charles Saldanha, cortaram relações com o casal e pararam de seguir Gabriel e Yasmin nas redes sociais.
  • Simone disse que se afastou porque a relação do filho com Yasmin era controladora e que ele não falava mais com a irmã mais nova, a também surfista Sophia.
  • Depois, Gabriel diminuiu o repasse mensal que fazia à família. Segundo Simone, não se tratava de uma mesada, mas do pagamento que recebia como sócia da empresa de gerenciamento esportivo do filho.
  • Gabriel e a mãe resolveram a questão na Justiça. Ele cedeu à família imóveis avaliados em milhões de reais. Por outro lado, Simone estava proibida de explorar comercialmente a imagem do filho.
  • A treta chegou ao Instituto Gabriel Medina, com sede na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP). O órgão era administrado por Simone e Charles. De acordo com ela, Gabriel pediu que os dois renunciassem aos cargos. Em setembro, Simone fechou instituto e colocou à venda o prédio que o abrigava.
  • Segundo a coluna do jornalista Leo Dias no site de notícias Metropóles, Gabriel bloqueou Simone nas redes sociais depois que ela supostamente comparou Yasmin a uma atriz pornô e criticou também a mãe da modelo, Luiza Brunet, neste fim de semana.
  • Ainda segundo a publicação, Yasmin e Luiza vão processar Simone por difamação.
  • Yasmin se manifestou no Instagram contra outros boatos e pediu respeito.



O que disse Yasmin

Nesta quinta, Yasmin publicou um longo texto em seu perfil no Instagram no qual se defendia algumas acusações.

"Quero me manifestar sobre algumas notícias que saíram essa semana. Uma delas diz que existiria um vídeo íntimo meu em posse uma familiar do meu marido. Essa informação não procede. Não existe tal material. E nunca existiu. No entanto, eu preciso ressaltar que, mesmo que existisse, é lamentável querer diminuir uma mulher exercer sua sexualidade", escreveu a modelo.

Leia abaixo a íntegra:

"Em respeito aos meus fãs e do Gabriel, eu quero me manifestar sobre algumas notícias que saíram essa semana. Uma delas diz que existiria um vídeo íntimo meu em posse uma familiar do meu marido. Essa informação não procede. Não existe tal material. E nunca existiu. No entanto, eu preciso ressaltar que, mesmo que existisse, é lamentável querer diminuir uma mulher exercer sua sexualidade. Lutamos para sermos livres para fazerm o que quisermos, para ocupar lugares que nos foram negados por anos e mais anos... Para sermos donas de nossos corpos e desejos.

Não teria nada que me envergonhar e nenhuma mulher também não teria. Não compactuo com o machismo. Assim como a minha vida também não tem espaço para homofobia. Uma outra mentira criada para me atacar seria sobre um suposto relacionamento homoafetivo. Como se viver um amor fosse algo que ofenderia... E me entristece esse tipo de atitude nos dias de hoje. Eu prezo pelo respeito às mulheres e por todos aqueles que vivem seus amores.

E só estou vindo a público, porque eu e Gabriel estamos cansados dessa espetacularização da nossa vida. E para acabar também com essas especulações e criações, que são uma tentativa lastimável de tentar atacar a minha honra. Com ou sem vídeo, com ou sem um relacionamento homoafetivo, eu, todas as mulheres e todos os LGBTQIA+ merecemos respeito."


Fale conosco