• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 25 de maio de 2024

Médico é indiciado por homicídio culposo por morte de paciente idosa que não recebeu atendimento

Polícia Civil conclui que profissional de saúde não examinou a vítima. Caso seja culpado, pode ter a carteira cassada.


G1

Publicada em: 16/07/2018 11:12:57 - Atualizado

EXTREMA, RO - Um médico plantonista do Hospital Regional de Extrema (HRE), distrito a cerca de 300 quilômetros de Porto Velho, foi indiciado por homicídio culposo pela morte da costureira Francisca Rodrigues Lima, de 64 anos. Ela morreu após ficar mais de 10 horas sem atendimento médico, no dia 4 de fevereiro deste ano. Antes de falecer, a idosa teve três paradas cardiorrespiratórias.

De acordo com a Polícia Civil, a ocorrência foi registrada como omissão de socorro. Porém, por suspeita da morte ter sido ocasionada por negligência médica, foi mudada para homicídio culposo - quando não há intenção de matar.

A família de Francisca registrou ocorrência quase dois meses depois do caso. A mudança no tipo de crime foi feita pelo delegado Stanley Talhari, da 9ª Delegacia de Polícia (Extrema), que estudou o caso por mais de um mês.

m médico plantonista do Hospital Regional de Extrema (HRE), distrito a cerca de 300 quilômetros de Porto Velho, foi indiciado por homicídio culposo pela morte da costureira Francisca Rodrigues Lima, de 64 anos. Ela morreu após ficar mais de 10 horas sem atendimento médico, no dia 4 de fevereiro deste ano. Antes de falecer, a idosa teve três paradas cardiorrespiratórias.

De acordo com a Polícia Civil, a ocorrência foi registrada como omissão de socorro. Porém, por suspeita da morte ter sido ocasionada por negligência médica, foi mudada para homicídio culposo - quando não há intenção de matar.

A família de Francisca registrou ocorrência quase dois meses depois do caso. A mudança no tipo de crime foi feita pelo delegado Stanley Talhari, da 9ª Delegacia de Polícia (Extrema), que estudou o caso por mais de um mês.

A família de Francisca também denunciou o médico ao Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero). Segundo a assessoria, o caso está sendo investigado em sigilo. Caso comprovada a negligência do profissional (considerada a pior infração ética ao conselho), o médico poderá ter a Carteira Profissional de Médico (CFM) cassada.



Fale conosco