• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, sábado 24 de fevereiro de 2024

Ucrânia luta para vencer guerra eletrônica contra a Rússia com drones caseiros e sistemas de arma

Ucrânia corre para alcançar a Rússia com produção de drones caseiros e sistemas de armas e táticas que utilizam o espectro eletromagnético


CNN

Publicada em: 02/12/2023 10:34:48 - Atualizado


MUNDO: No início de novembro, um vídeo feito com drone apareceu online mostrando um ataque direcionado explodindo três antenas no telhado de um prédio de apartamentos. O comandante do drone ucraniano que o postou alegou ter destruído um sistema russo de guerra eletrônica Pole-21 na frente oriental, perto de Donetsk.

A Ucrânia já está correndo para alcançar a Rússia no que diz respeito à guerra eletrônica.

Esse ataque também mostra como Kiev está se apressando para destruir a tecnologia de Moscou no campo de batalha – um sinal do quão importante pode ser para o futuro da guerra.

A guerra eletrônica envolve armas ou táticas que utilizam o espectro eletromagnético. Isso está sendo utilizado por ambos os militares neste conflito, predominantemente através de bloqueadores eletrônicos que desativam sistemas de mira guiados por GPS, fazendo com que os foguetes errem seus alvos.

Depois de quase seis meses de contraofensiva lenta e angustiante da Ucrânia, é claro que a Rússia não só construiu defesas físicas, mas também formidáveis defesas eletrônicas, e os soldados ucranianos na linha da frente estão tendo que se adaptar rapidamente.

Pavlo Petrychenko, comandante de drones da 59ª Brigada Motorizada da Ucrânia, que executou o ataque no início de novembro, diz que destruir com sucesso estes sistemas é fundamental para que a Ucrânia recupere mais território.

O vídeo que ele publicou nas redes sociais faz parte de um número crescente de relatos militares e da mídia ucranianos sobre ataques bem sucedidos apenas contra os sistemas Pole-21, que bloqueiam sinais de GPS, desde o verão.

“No início do conflito, eles usaram a guerra eletrônica para interferir na nossa comunicação, nossos walkie-talkies, radiocomunicações, telefones, drones”, disse ele à CNN em uma videochamada de perto de Avdiivka, na frente oriental, local atual de alguns dos combates mais agressivos da guerra.

“Mas quando começamos a receber equipamentos estrangeiros, eles começaram a usar esses sistemas para anular as nossas armas. Como o HIMARS (sistema de foguetes de artilharia de alta mobilidade) e o Excalibur 155 (um projétil de artilharia de longo alcance), ambos fornecidos pelos Estados Unidos, são guiados por satélites, a guerra eletrônica é usada (pela Rússia) ativamente como um elemento de defesa contra nós”, Petrychenko disse.




Fale conosco