• Fundado em 11/10/2001

    porto velho, segunda-feira 15 de abril de 2024

Alexei Navalny morreu com um "murro no coração" após horas ao frio, diz jornal The Times

Ele afirma que esse método não é novo para a Rússia, sendo uma prática antiga das forças especiais da KGB.


R7

Publicada em: 21/02/2024 11:29:11 - Atualizado


MUNDO: Alexei Navalny foi possivelmente morto por um "murro no coração", uma técnica ensinada aos agentes das forças especiais da KGB, depois de ter sido exposto a frio extremo durante várias horas, afirmou um ativista.

Vladimir Osechkin, fundador do grupo de direitos humanos Gulagu.net, informou ao The Times que os hematomas encontrados no corpo do líder da oposição eram consistentes com uma técnica "registrada" pelo KGB, citando uma fonte da colônia penal do Ártico, onde Navalny faleceu na sexta-feira.

Antes de sua morte, Navalny, de 47 anos, teria sido obrigado a passar entre duas horas e meia a quatro horas em confinamento solitário ao ar livre, sujeito a temperaturas que poderiam cair até -27ºC, disse Osechkin. Prisioneiros geralmente não são deixados ao ar livre por mais de uma hora, especialmente em condições fechadas.

"Eu acredito que primeiro destruíram o corpo dele ao deixá-lo no frio por muito tempo e reduzindo drasticamente a circulação sanguínea", disse Vladimir Osechkin, sugerindo que essas condições tornam "muito fácil matar alguém em segundos", sendo um soco no peito fatal para alguém exposto a temperaturas tão baixas.

Ele afirma que esse método não é novo para a Rússia, sendo uma prática antiga das forças especiais da KGB.

Os serviços penitenciários da Rússia alegaram que Navalny se sentiu mal após uma caminhada e perdeu a consciência. Líderes ocidentais, familiares e apoiadores do opositor responsabilizam Vladimir Putin por sua morte. A esposa de Navalny divulgou um vídeo acusando a Rússia de envenenar seu marido.

As autoridades russas negaram as acusações e informaram aos familiares de Navalny que será realizada uma "perícia química" em seu corpo por pelo menos 14 dias antes de entregá-lo à família.


Fale conosco